Justiça mantém bloqueio de R$ 16 milhões de prefeito, primeira-dama e mais três

Desembargadores também decidiram que o Tribunal de Justiça tem competência para analisar casos apontados pela Capistrum

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

A Turma das Câmaras Criminais Reunidas manteve bloqueio de R$ 16 milhões em bens do prefeito Emanuel Pinheiro, da primeira-dama Márcia Pinheiro e outros investigados na Operação Capistrum. 

O colegiado seguiu o voto do relator do processo, desembargador Luiz Ferreira, em votação unânime na tarde dessa quinta-feira (16), que ainda manteve o sequestro de materiais apreendidos na operação.  

Prefeito e primeira-dama e mais três pessoas – o ex-chefe de gabinete, Antônio Monreal Neto, a ex-adjunta de Governo e Assuntos Estratégicos, Ivone de Souza, e o ex-coordenador de gestão de pessoas da Secretaria de Saúde, Ricardo Aparecido Ribeiro – são investigados por contratação irregulares de servidores e pagamento desregrado da gratificação prêmio-saúde. 

O bloqueio de R$ 16 milhões em bens foi pedido pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE) como fonte de ressarcimento dos danos financeiros causados pelas supostas irregularidades investigadas. 

Manutenção em instância estadual 

A Turma negou, na mesma análise, o pedido para que apontamentos de supostos crimes da Capistrum fossem transferidos para a Justiça Federal. 

Os desembargadores entenderam que a Justiça estadual tem competência para julgar o caso, contrariando o argumento da defesa de Emanuel Pinheiro. 

O prefeito voltou ao cargo, no dia 26 de novembro, por força de decisão do ministro do Superior de Tribunal de Justiça (STJ), Kássio Nunes. O advogado dele, Francisco Faiad, recorreu à instância federal após seguidas derrotas no Tribunal de Justiça de Mato Grosso. 

O MPE entendeu que o prefeito atropelou o trâmite processual e esse entendimento foi acatado ontem pela Turma das Câmaras Criminais Reunidas. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia cumpre mandados contra empresa do segmento de combustíveis acusada de forjar capital
Próximo artigoHomem invade casa, deixa adolescente inconsciente e a estupra