Justiça manda Anvisa liberar carga com 300 mil testes rápidos de covid para MT

Segundo o governo, problema foi causado porque encomenda da China foi dividida em 10 lotes. Dois deles foram liberados de imediato

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O juiz federal Ciro José de Andrade Arapiraca, da 1ª Vara de Mato Grosso, determinou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) libere os 300 mil testes rápidos para covid-19 comprados pelo governo do Estado.

A decisão foi proferida nesta terça-feira (14), em uma ação civil pública movida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) contra a Anvisa.

Na sentença, o juiz citou o “completo caos no sistema de saúde” e o fato de outros lotes de testes em situação semelhante já terem sido liberados.

Os produtos foram adquiridos pelo Estado junto a empresa chinesa Medifine Medical Co.Ltd. E o problema na entrega teria sido causado pelo fracionamento da carga na hora do transporte.

De acordo com o governo, foram 10 faturas e listas de embalagens, o que fez o Fundo Estadual de Saúde efetuar o registro de 10 licenças de importação. Todas elas com os documentos protocolizado na Anvisa.

Dos 10 pedidos, no entanto, a Avisa deferiu a licença de importação de apenas duas cargas e condicionou o registro das outras à autorização da empresa detentora do registro na autarquia, o que geraria um custo adicional de US$ 45 mil.

“Deveras, é possível reconhecer que os produtos que se pretende obter o licenciamento da importação já se encontram em território nacional, não havendo controvérsia acerca da possibilidade técnica de utilização dos mesmos, haja vista que a própria requerida [Anvisa] deferiu o registro de licença de importação de duas das 10 cargas recebidas, apenas condicionando o registro das 8 últimas à autorização da empresa detentora do registro na autarquia”, destacou o juiz.

Os testes serão utilizados pelo governo no Centro de Triagem da Covid-19, que está na fase final de montagem na Arena Pantanal. Parte deles também será encaminhada para as prefeituras do interior.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorControle em oito semanas?
Próximo artigoGoverno estima que pandemia se estenda até novembro em MT