Justiça Federal recebe ação contra Fagundes por corrupção na “máfia das ambulâncias”

Processo foi enviado pelo Supremo Tribunal Federal, depois que Fagundes perdeu foro privilegiado

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Justiça Federal de Mato Grosso recebeu, do Supremo Tribunal Federal (STF), a ação contra o senador Wellington Fagundes (Partido Liberal), por um esquema de corrupção que ficou conhecido nacionalmente como “máfia das ambulâncias“.

A ação foi recebida pelo juiz Paulo Cézar Sodré, da 7ª Vara Federal de Cuiabá, conforme disponibilizado no Diário de Justiça Eletrônico desta sexta-feira (16).

“Mantenho o recebimento da denúncia, bem como determino o prosseguimento do processo em seus demais termos, em conformidade com o art. 399 do CPP”, diz trecho da decisão.

O juiz deu prazo de 10 dias para que a defesa do senador aponte sobre o que pretende falar cada umas das 28 testemunhas indicadas por Fagundes. Ele também destacou que apenas oito pessoas podem testemunhar por cada fato delituoso.

O caso

A ação em questão é resultado da Operação Sanguessuga, deflagrada em 2006. A operação desvendou casos de corrupção por meio da compra de ambulâncias com valores superfaturados. O esquema envolvia políticos e a empresa Planam, da família Vedoin, principal delatora do caso.

Fagundes tornou-se réu na Justiça em fevereiro de 2018, quando a Primeira Turma do STF recebeu a denúncia do Ministério Público Federal.

Segundo o processo, os fatos teriam sido praticados entre 2001 e 2005, no terceiro e quarto mandato de deputado federal exercido por Wellington Fagundes. Ele teria recebido R$ 100 mil em vantagens indevidas para destinar emendas parlamentares para a compra das ambulâncias superfaturadas.

Por não ser mais deputado desde janeiro de 2015, a defesa do senador pediu a remessa das ações para a Justiça Federal de Mato Grosso, em março deste ano. O pedido foi atendido pela ministra Rosa Weber em junho. Na ocasião, ela declarou a incompetência da Corte Superior para continuar com o caso.

Outro lado

Por meio de nota, a assessoria do senador Wellington já tinha informado que que “há 12 anos, por esse mesmo fato, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região rejeitou integralmente a denúncia apresentada pelo Ministério Publico, considerando não existir relação entre os fatos e a atuação do parlamentar. Ou seja: quando deputado, o senador Wellington Fagundes jamais apresentou qualquer emenda orçamentaria ligada ao caso”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtingido por bala perdida, estudante morre a caminho da escola
Próximo artigoCasal é preso ao pegar de volta motocicleta apreendida: “a moto é nossa!”