Justiça Federal manda fechar trecho da BR-158 que passa por terra indígena

Com a decisão, o governo federal não pode pavimentar o trecho da rodovia que corta o Vale do Araguaia, em Mato Grosso

Foto: Assessoria

A Justiça Federal mandou fechar o trecho da BR-158 em Mato Grosso que cruza a Terra Indígena Marãiwatsédé, localizada na região de Barra do Garças. Com a decisão, o governo federal deve abster-se da pavimentação do trecho e reflorestá-lo.

A determinação é da juíza federal Danila Gonçalves de Almeida e prevê que as obras do contorno Leste da rodovia – contornando a terra indígena – iniciem urgentemente.

Para isso, será necessário respeitar as aldeias antigas, cemitérios e demais locais sagrados para as comunidades indígenas que vivem na região.

LEIA TAMBÉM

Na ação, o Ministério Público Federal aponta que o traçado da rodovia afeta diretamente aspectos culturais e existenciais dos povos Xavantes ali residentes. Além disso, o trânsito intenso de veículos pesados, ocasiona a morte de espécies da fauna nativa e traz risco de acidentes para a população indígena local.

“Nesse sentido, uma rodovia pavimentada no interior desse território facilitaria a perpetração de delitos ambientais como, incêndios e desmatamentos, que prejudicam sobremaneira as atividades de subsistência dos povos indígenas”, diz o MPF.

(Foto: DNIT)

Pavimentação da BR-158

Na semana passada, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, apresentou os planos do governo federal para a rodovia. Ele já incluem a construção do contorno na terra indígena e um estudo de viabilidade para a concessão da estrada à iniciativa privada.

Segundo Freitas, a obra do contorno foi dividida em dois lotes, sendo que o primeiro já foi licitado. O projeto, porém, ainda aguarda licenças ambientais. No mais tardar, o empreendimento deve começa no início de 2022, afirmou o ministro.

Enquanto isso, os atoleiros na rodovia são constantes. Também na semana passada, um caminhoneiro filmou o congestionamento causado pela má condição da estrada.

Por causa da falta de logística, os fretes para a região são altos, o que afeta o custo de vida em cidades como São Félix do Araguaia (1.150 km de Cuiabá), onde o preço do litro da gasolina já ultrapassou os R$ 6.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSer Mulher
Próximo artigoMinistro convoca governadores para “pacto nacional” contra a pandemia