Justiça Eleitoral registra recorde de inscrições para mesários

Em Mato Grosso, no entanto, a média de interessados se mantém a mesma da eleição passada

(Foto:Suellen Pessetto/ O Livre)

Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) de quase todo os país já comemoram um recorde de inscrições de mesários voluntários para eleições municipais deste ano. Mato Grosso, no entanto, deve ficar fora da festa.

Segundo dados da Justiça Eleitoral, de 1º de janeiro até esta sexta-feira (4), 5.103 pessoas se voluntariaram para o serviço. Um número relativamente menor do que o registrado na eleição de 2018, quando foram 5.401 voluntários.

Para que a eleição ocorra da forma como deve, Mato Grosso precisa que 36 mil pessoas façam esse serviço.

Se a comparação for com a eleição municipal anterior – realizada em 2014 -, todavia, houve avanço. Naquele ano, 4.720 pessoas demonstraram interesse espontâneo em colaborar com a Justiça Eleitoral.

A assessoria do TRE-MT ressalta, contudo, que os números são referentes apenas às pessoas que se cadastram pela internet. Outros mesários podem ter solicitado essa inscrição, pessoalmente, direto nos cartórios eleitorais.

Recordes

O TRE de Tocantins, por exemplo, contabilizou um aumento de 11,52% nas inscrições de mesários voluntários neste ano, em relação às eleições gerais de 2018.

Se comparados com as últimas eleições municipais, os números são ainda mais expressivos: um salto de 83,21% em quatro anos.

Em 2016, foram 8.388 mesários voluntários no Estado e, em 2020, até o momento, já são 15.368. Só no dia 25 de agosto, foram registradas 785 inscrições.

Segundo a Justiça Eleitoral, Paraná, Rio de Janeiro e Pernambuco também registraram uma procura maior de pessoas interessadas em trabalhar nas eleições de novembro.

De 2016 para 2020, somente o TRE-PR registrou um acréscimo de 98,27% na procura. Passou de 26.247 para mais de 52 mil voluntários.

Inscrições

Quem tiver interesse em participar ainda pode se inscrever, até 16 de setembro, nos cartórios eleitorais de suas cidades, no site de cada TRE ou ainda por meio do aplicativo e-Título, que está disponível gratuitamente.

Se for convocado, o eleitor receberá uma carta no endereço cadastrado na Justiça Eleitoral. Nela, já são informados a data e o local em que o eleitor deve comparecer para receber o treinamento.

O trabalho de mesário não é remunerado, mas dá direito à auxílio-alimentação no 1º turno e, se houver, também no 2º turno das eleições.

O mesário também tem direito a dois dias de folga para cada dia que passar nos treinamentos oferecidos pela Justiça Eleitoral, ou trabalhando na função a que for designado no dia da votação.

O recrutado recebe ainda um certificado pelos serviços prestados e tem preferência no desempate em concursos públicos, desde que isso seja previsto no edital.

Requisitos

Para ser mesário é preciso estar em situação regular com a Justiça Eleitoral e ser maior de 18 anos. Os mesários são designados para seções eleitorais dentro da Zona Eleitoral em que estão inscritos.

Qualquer eleitor pode ser escolhido para ser mesário, mas há exceções. Nessa lista estão candidatos e seus parentes, até o segundo grau, ainda que por afinidade, inclusive o cônjuge; membros de diretórios de partidos políticos que exerçam função executiva; autoridades, agentes policiais e funcionários no desempenho de funções de confiança do Executivo; e funcionários do serviço eleitoral.

(Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCerca de 1 milhão de pessoas voltou a procurar emprego, diz IBGE
Próximo artigoFerrovia em Cuiabá vai atrair empresas e beneficiar de imediato 260 indústrias