Justiça do DF condena Facebook por suspender conta sem explicação

Nutricionista tinha 40 mil seguidores e vai receber uma indenização de R$ 5 mil

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou o Facebook a indenizar um nutricionista que teve sua conta no Instagram desativada unilateralmente na plataforma, sem explicação.

A 17ª Vara Cível de Brasília entendeu que a decisão da rede social constituiu ato ilícito, gerando direito ao profissional de receber indenização pelos prejuízos sofridos.

O Facebook foi condenado a pagar R$ 5 mil a título de danos morais e restabelecer a conta do profissional. Cabe recurso da decisão.

O usuário entrou com processo alegando que utiliza o Instagram para obter receitas por meio do acompanhamento de clientes, agendamento de consultas e contatos com marcas.

Seu perfil tinha 40 mil seguidores e uma média de 50 mil visitas por semana.

Além dos prejuízos financeiros, o profissional argumentou que a suspensão da conta também provocou danos à sua imagem.

No processo, o Facebook, empresa responsável pelo Instagram, defendeu-se afirmando que a suspensão de contas é uma medida adotada pela plataforma quando há violação das normas internas de seus serviços, os chamados termos de serviço.

Por meio de sua assessoria, a companhia afirmou que “violações dos Termos de Uso ou Políticas da plataforma podem levar à remoção de conteúdo ou desativação da conta. O Facebook está avaliando o caso em questão”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdolescente pega caminhonete, se envolve em acidente e homem de 58 anos morre
Próximo artigoSomos todos Flamengo

O LIVRE ADS