Justiça determina que 90% da frota de ônibus seja mantida nesta sexta-feira

Liminar em favor do município foi concedida diante do comunicado de paralisação dos motoristas, que haviam decidido manter apenas 50% do efetivo nesta sexta-feira

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT/MT) determinou a manutenção mínima de 90% da frota de ônibus coletivo circulando durante os horários de pico nesta sexta-feira (14). Já para os os demais períodos, a circulação deve ficar em 70% do normal.

Os horários de pico definidos pela Justiça do Trabalho na decisão são compreendidos nos períodos entre às 6h e 8h; 12h e 14h e 17h e 20h. Em caso de descumprimento da decisão, a multa diária será de R$ 150 mil.

A liminar concedida pela presidente do TRT, desembargadora Eliney Veloso, foi favorável ao município de Cuiabá, diante do comunicado de paralisação da categoria, que havia decidido manter 50% do efetivo e aderir à greve geral que ocorre em todo país como protesto contra a Reforma da Previdência e os cortes na Educação.

No despacho, Veloso pontuou que a atividade de transporte coletivo urbano é indispensável à coletividade, especialmente para viabilizar o acesso a outros serviços essenciais, a exemplo da saúde e educação.

“Faz-se imperioso que permaneça em operação um quantitativo de trabalhadores suficiente para resguardar à população o direito básico de locomoção, sob pena de se desencadear reflexos prejudiciais em inúmeros outros segmentos econômicos, na medida em que a indisponibilidade do serviço de transporte coletivo urbano também afeta a mobilidade dos trabalhadores que se ativam em outras áreas prioritárias”, diz trecho da decisão.

A desembargadora ainda determinou que o Comando Regional da Polícia Militar em Cuiabá seja oficiado para que, tomando ciência da situação, possa adotar as medidas voltadas à preservação da ordem pública, caso necessário.

(Com assessoria)

LEIA TAMBÉM:

Categorias de MT aderem à greve geral contra reforma de Previdência

PM terá efetivo de 100 policiais nas ruas em dia de protesto

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós protestos de pais, aulas em creche estadual voltam à normalidade
Próximo artigoConfira as principais mudanças no relatório da reforma da Previdência