Justiça determina demissão de médicos que usavam consultórios do SUS para cobrar pacientes

Ortopedistas afirmavam que, pelo sistema público, as pessoas não conseguiriam atendimento

(Foto: Reprodução)

Dois ortopedistas que trabalhavam na rede pública de saúde em Tangará da Serra (240 km de Cuiabá) foram condenados à perda do cargo e pagamento de multa. Eles captavam pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) para seus consultórios particulares.

José Maria Fraes Vasques e Francisco Antônio Canhoto também respondem a uma ação penal.

Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, os médicos faziam orçamentos de cirurgias em consultas pelo SUS e orientavam os pacientes a procurarem seus consultórios particulares.

As denúncias contra os dois médicos são inúmeras e, ainda de acordo com o MP, começaram a ser praticadas em 2008.

José Maria, por exemplo, exigiu o pagamento de R$ 4 mil de um paciente que tinha uma fratura no fêmur. A pessoa estava internada em uma unidade de saúde mista, ou seja, que prestava atendimentos tanto públicos quanto privados.

Já Francisco Antônio, em um dos casos expostos pelo MP, deixou de emitir um encaminhamento para um paciente ser atendido pelo SUS. No lugar disso, entregou a pessoa um envelope com o valor do exame – um raio X – na rede particular.

“Verifica-se que ambos os réus alegavam a gravidade do estado de saúde dos pacientes e, em seguida, afirmavam que pelo SUS o procedimento seria muito demorado e sequer promoviam o encaminhamento para a Central de Regulação, não deixando escolha aos pacientes e levando-os a pagar por consultas e procedimentos cirúrgicos particulares”, diz trecho da ação.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPossível cassação de Abílio e a relevância da oposição
Próximo artigoMT reforça segurança pública em 23 municípios durante o Carnaval

O LIVRE ADS