Justiça arquiva inquérito contra produtora que fez vídeo com “cabeça decepada” de Bolsonaro

No polêmico vídeo, um grupo de pessoas joga futebol com a cabeça decapitada do presidente Jair Bolsonaro

(Foto: reprodução)

A Procuradoria da República no Distrito Federal decidiu por arquivar uma investigação contra a produtora Gorila Company, acusada de incentivar a violência contra o presidente Jair Bolsonaro.

A produtora divulgou um vídeo onde um grupo de pessoas jogam futebol com a cabeça do presidente Jair Bolsonaro. No fim do vídeo, um cachorro ainda aparece mordendo o “crânio” do mandatário.

Devido a prótese ser bastante realista, o vídeo passa a impressão que o presidente teria sido decapitado. A produção foi elogiada por ativistas de extrema esquerda, mas causou revolta em grande parte das pessoas que assistiram a publicação.

O caso chegou a ser investigado pelo Ministério Público, que entendeu que o vídeo poderia incentivar a violência ou ser até uma ameaça contra o presidente Jair Bolsonaro.

Entretanto, a Procuradoria da República do Distrito Federal argumentou que o vídeo se trata somente de uma crítica social e uma peça publicitária.

“Penso que considerar uma piada, uma crítica social ou uma peça publicitária como ato ilícito seria um exagero hermenêutico. Além disso, penso, também, que os efeitos lato sensu provenientes dessa ilicitude seriam mais nefastos para a sociedade, na medida em que poderia ultrapassar, perigosamente, o liame da conquista civilizatória da liberdade de conteúdo intelectual, impingindo-se censuras, sob o manto da moralidade”, argumentou Cordeiro Lopes, na decisão proferida na última sexta-feira.

Veja o vídeo

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuatro mortos “vacinados” em Cuiabá
Próximo artigoVacinação privada