Justiça afasta secretário e policia vasculha casa de prefeito de Rondonópolis

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Polícia Civil de Mato Grosso e Ministério Público Estadual desencadearam nesta quarta-feira (25.11), em Rondonópolis, a segunda fase da Operação Stop Loss, que investiga a ocorrência de superfaturamento e outras irregularidades na aquisição de materiais de consumo, com dispensa de licitação, para o combate à pandemia da Covid -19 pela prefeitura do município.

Os mandados judiciais são cumpridos pelas equipes da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) e grupo operacional do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Criminal), com apoio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

As novas medidas cautelares foram requeridas pelo MPE, por meio do Naco, em conjunto com a Polícia Civil, à Turma de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

O desembargador Juvenal Pereira da Silva deferiu medida cautelar de afastamento do exercício da função do secretário de Administração de Rondonópolis, Leandro Junqueira Arduini, e mandados de buscas e apreensões nos endereços residenciais do secretário e do prefeito José Carlos Junqueira de Araújo (José do Pátio), como também nos gabinetes dos respectivos alvos, na Prefeitura Municipal.

Na primeira fase da operação ‘Stop Loss’, realizada em junho deste ano, a partir de informações do Ministério Público de Contas os investigadores detectaram o superfaturamento em itens contratados na Dispensa de Licitação nº 38/2020 destinada à aquisição de materiais de limpeza, tendo como justificativa de urgência a pandemia da Covid-19, aquisição ratificada pelo chefe do Executivo municipal.

A segunda fase demonstra o acerto na execução da primeira etapa da operação, pois com novos elementos coletados, surgiu o provável envolvimento de mais um secretário da prefeitura, havendo indicativos da formação de uma estrutura criminosa instalada no Executivo municipal.

Com a deflagração desta nova fase, os investigadores pretendem coletar novas informações e robustecer, ainda mais, os elementos informativos para que haja o esclarecimento completo dos ilícitos praticados, com a devida responsabilização dos envolvidos. (Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça suspende propaganda em que Abílio acusa Emanuel de coagir servidores
Próximo artigoLojas online? Consumidores preferem o “tradicional” na hora de comprar roupas