Júlio garante apoio do DEM ao prefeito Emanuel Pinheiro

O ex-governador destaca a união com o prefeito Emanuel Pinheiro de quem é próximo na vida pessoal

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O ex-governador Júlio Campos, um dos caciques do Democratas, garantiu apoio da legenda ao trabalho do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) em Cuiabá. O ex-governador disse que se o governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) faz oposição ao prefeito é uma coisa interna e que a legenda apoia e é próxima da gestão de Pinheiro.

Júlio destacou que ele e seu irmão o senador Jayme Campos (DEM) tem um relacionamento pessoal muito forte com Emanuel Pinheiro. Para exemplificar o tamanho dessa relação lembrou que Emanuelzinho (PTB) foi o deputado federal mais votado em Várzea Grande nas eleições de 2018.

Júlio Campos ainda descartou que tenha havido nesta semana um embate nos bastidores por conta da vinda do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que esteve em Cuiabá nessa segunda-feira (22). Informações davam conta de que o Jayme Campos teria atuado para colocar “panos quentes” no caso e garantir a visita do ministro, na inauguração da segunda etapa do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) e no lançamento da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe.

O democrata avalia ainda que o momento atual da saúde pública exige a união dos gestores para superar as dificuldades. “A saúde pública do jeito que está tem que ter uma unidade muito grande do governo Federal, governo do Estado e prefeituras. Não tem lugar para esse tipo de malquerença, o governador Mauro é muito superior a isso”, disse. Para ele, quem divulgou o boato não falou a verdade.

União

O ex-governador ainda falou de uma união entre Mauro e Emanuel que pode ocorrer no ano que vem na eleição para a Prefeitura de Cuiabá. O democrata confirmou que o nome de Botelho tem a simpatia dos dois chefes do Poder Executivo, conforme adiantou O Livre.

Amigos e rivais

Emanuel Pinheiro e Mauro Mendes militavam juntos no PR, Mauro saiu em 2010 do partido para concorrer ao governo do Estado. Emanuel deu apoio a reeleição de Silval Barbosa (sem partido) naquele ano. Em 2012 os dois voltaram a atuar juntos novamente quando Mauro Mendes foi candidato a prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (ainda no PR) foi o coordenador-geral da campanha vitoriosa de Mendes.

Em 2016, Pinheiro estava no MDB e seria candidato a prefeito contra Mauro Mendes que concorria à reeleição e gozava de alta popularidade. No entanto, Mendes recuou na última semana antes da convenções e seu grupo político acabou apoiando a candidatura do deputado Wilson Santos (PSDB). Mesmo com a alta rejeição o tucano levou o pleito para o segundo turno, sendo vencido por Emanuel. A participação de Mendes foi discreta na campanha de Wilson e sua esposa a primeira-dama Virginia Mendes fazia clara oposição a eleição do tucano e trocava elogios com a esposa de Emanuel, Márcia Pinheiro, pelas redes sociais.

O clima azedou quando Pinheiro assumiu a prefeitura e elencou as obras paradas e a situação do caixa da Capital.

Em 2018, o partido de Emanuel apoiou Mauro Mendes ao governo do Estado. No entanto, Pinheiro que articulava o apoio do MDB ao senador, o pediu liberação do partido para apoiar a candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao governo, devido a candidatura do filho. Mauro Mendes foi eleito governador no primeiro turno do pleito de 2018.

Neste ano o clima voltou a esquentar entre os dois depois que o Estado não liberou a Arena Pantanal para sediar a festa de 300 anos da Capital, que contaria com três dias de show e até o presidente Jair Bolsonaro (PSL) havia sido convidado para participar. Os dois ainda divergem sobre o futuro da Santa Casa, que permanece com os atendimentos paralisados desde de março.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRyan Murphy já tem 10 projetos aprovados na Netflix
Próximo artigoTrajetória de André Maggi é contada em livro lançado em Cuiabá

O LIVRE ADS