Juiz eleitoral atende ação do PDT e proíbe Pedro Taques de prorrogar Refis

Programa prevê renegociação de dívidas de contribuintes com o Estado de MT

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governador Pedro Taques (PSDB) está proibido pela Justiça Eleitoral de prorrogar, novamente, benefícios fiscais do programa Refis. A decisão liminar do juiz Ricardo Almeida desta quarta-feira (11) atendeu a pedido do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que alegou que o governador abusou do poder político ao prorrogar benefícios fiscais em ano eleitoral.

“Verifica-se que a prorrogação da concessão do benefício fiscal vem sendo reeditada através de decreto do chefe do Poder Executivo, o que no ano das eleições gerais, pode, em tese, afetar a igualdade de oportunidade no pleito eleitoral vindouro”, escreveu o magistrado. A ação ainda será julgada pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

De acordo com a representação, o governador prorrogou o prazo do Programa de Recuperação de Créditos do Estado de Mato Grosso (Refis) para 31 de julho, por meio do Decreto 1.565, publicado no dia 30 de junho. Esta foi a segunda prorrogação, apenas em 2018.

O PDT afirmou, na representação, que não é contra o Refis. “Por fim, urge ressaltar que o Representante é favorável a instituição/execução de programas de recuperação fiscal que visam o  aumento da arrecadação estatal, desde que, para tanto, haja estrita observância das normas do nosso ordenamento jurídico pátrio, situação esta que não se observa in casu”.

“Curiosamente, arrastam-se os descontos até o início do período eleitoral, com ampla divulgação na mídia estadual e estatal, a denotar a ampla publicidade da nefanda política fiscal de cunho exclusivamente eleitoreiro”, diz trecho da ação.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLei de proteção de dados vai mudar cotidiano de cidadãos e empresas
Próximo artigoPrefeitura é notificada por MP para não publicar notícias com tom de campanha