Jovem morreu a pedradas por entrar em bairro em que facção proibiu; “descumpriu regras”

Investigações apontaram que o rapaz teria armado confusão na região e, por isso, foi proibido de voltar

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Fernando Pires de Mello, de 28 anos, morreu porque descumpriu uma regra imposta por uma organização criminosa. Foi essa a conclusão da Polícia Civil, que investigou a morte do rapaz registrada em agosto, em Alta Floresta (800 km de Cuiabá).

Conforme as investigações, Fernando era membro da facção, mas teria se envolvido em confusões no Bairro Vila Nova. Então, as lideranças do grupo criminoso o proibiram de frequentar a região.

Acontece que Fernando não obedeceu às regras. Por isso, conforme o delegado Pablo Carneiro, Jovina Carole da Silva, conhecida como “Madrinha”, teria ordenado sua execução.

A morte do rapaz é considerada um “salve” da facção. Ou seja, um castigo imposto pelos líderes criminosos. Raiam Levino da Costa e Ronald Batista teriam sido os responsáveis pelo assassinato.

Fernando foi encontrado morto no dia 11 de agosto, em um matagal próximo a uma estrada que liga o bairro Boa Esperança ao setor de chácaras. Ele estava com vários ferimentos na cabeça e duas pedras com sangue foram encontradas no local.

O delegado da Polícia Civil pediu a prisão preventiva dos três envolvidos. Segundo ele, Madrinha e Ronald já estavam presos por outros crimes. Raiam, porém, não foi encontrado e é considerado foragido.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS