Jovem é sequestrada e espancada por ex que não aceita término

Ela conseguiu convencê-lo a libertá-la, chamou a polícia e pediu medidas protetivas

Imagem ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma jovem de 24 anos foi sequestrada pelo ex-companheiro, de 20 anos, nessa terça-feira (15) e espancada a ponto de ser arrastada pelo chão e desmaiar várias vezes. O caso aconteceu em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

Segundo relato da vítima, ela morou com o suspeito por um ano, mas ao todo se relacionou com ele por cinco anos. Os dois não tiveram filhos, mas ele tem um filho de uma relação anterior. Os dois, porém, terminaram há duas semanas. O suspeito, no entanto, não aceita o fim da relação.

No dia 10 deste mês o suspeito já havia ido atrás da vítima e a agredido. A mãe dela registrou um boletim de ocorrência relatando o ocorrido, visto que a filha foi até sua casa pedindo ajuda. Nesse dia, porém, a vítima conseguiu se abrigar na casa da mãe e o suspeito fugiu quando a ex-sogra ligou para a polícia.

Na madrugada dessa terça-feira (15), porém, a vítima estava dormindo em sua casa com uma amiga, pois está com medo de dormir sozinha, por considerar o ex-companheiro perigoso, quando ele pulou o portão da residência, arrombou a porta de entrada e entrou na casa.

O suspeito foi até o local em que a ex-companheira estava dormindo com a amiga e acordou dizendo que queria conversar. A amiga pegou no braço da vítima e disse para ela não ir, mas a vítima foi ouvir o suspeito.

Com cerca de 10 minutos que estavam na cozinha, o suspeito começou a agredir a vítima. Ele a jogou no chão, colocou as pernas no pescoço dela e começou a enforcá-la.

A jovem lembra de ouvir alguém gritar seu nome, mas em seguida desmaiou. Ela acordou e tentou ir para o quarto, mas ouviu o ex dizendo que iria raptá-la.

Ele a pegou, passou o braço em volta do pescoço dela, enforcando-a, e a arrastou para a rua. A vítima desmaiou várias vezes enquanto era enforcada e arrastada pelos cabelos.

A jovem foi jogada dentro do carro pelo banco do piloto e o suspeito sentou em cima das pernas dela e saiu dirigindo. Ele só saiu de cima das pernas dela quando já havia saído do bairro em que a vítima mora e entrado na Avenida 31 de Março, em Várzea Grande.

Ele parou o carro e pediu que a vítima dirigisse até um motel e ela obedeceu por medo de que ele a matasse. No local, ele disse que se quisesse matá-la era só pegar um caco de vidro que estava próximo a eles e passar no pescoço dela e ela pediu que ele pensasse no filho dela.

A vítima disse à polícia que o suspeito estava sob efeito de drogas. Por fim, ele acabou adormecendo. Ela teve medo de correr e ele pegá-la e, por isso, esperou ele acordar.

Apesar de levá-la a um motel, o suspeito não cometeu nenhum crime sexual. Depois que amanheceu, a vítima pediu e o suspeito a levou embora, deixando-a na esquina da casa dela.

Ele pedia que ela reatasse a relação e o desbloqueasse das redes sociais. Ela prometeu desbloquear para acalmá-lo e ele deixar que ela saísse do veículo. Depois, ela acionou a polícia, o denunciou e pediu medidas protetivas.

O caso foi registrado como ameaça, lesão corporal, sequestro e cárcere privado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLula processa Regina Duarte por causa de publicação nas redes sociais
Próximo artigoCovid: diário da vacina #19