João Batista usará mandato de deputado para mostrar dados de MT ao Fórum Sindical

Presidente do Sindspen, ele promete transformar cadeira na Assembleia em extensão do Fórum Sindical

(Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

O Fórum Sindical deve participar do mandato de João Batista (Pros) como deputado estadual. Eleito para a próxima legislatura, que vai de 2019 a 2023, o servidor público afirmou que terá apoio de uma equipe de sindicalistas para analisar dados sobre as finanças do governo de Mato Grosso. Para ter acesso aos números, ele pretende usar os direitos que deputados têm de requerer informações às secretarias.

“No ano que vem, queremos montar uma equipe técnica com pessoas do Fórum Sindical para, usando as prerrogativas de deputado, levantar todos esses dados para apresentar à sociedade”, disse João Batista, que é presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen).

Ele sinalizou que não acredita na gravidade da crise anunciada pelo governo. “Esse discurso é antigo, foi feito em 2015, mas depois de alguns dias de greve, o dinheiro apareceu. Não temos acesso aos números do Estado destrinchados. Administrar é eleger prioridades e lá estão elegendo as prioridades deles. Pelo que a gente viu até agora, não é saúde, nem repasse aos municípios, nem garantir os direitos dos trabalhadores”, disparou.

Ele destacou que os servidores do Estado podem ajudar na elaboração de projetos de lei e fiscalização de políticas públicas. Por isso, fará do seu mandato uma extensão do Fórum Sindical. No total, a entidade que representa a maioria dos sindicatos de servidores estaduais lançou cinco candidatos a deputado estadual e três a federal, mas apenas um foi eleito.

“Costumo dizer que minha cadeira na Assembleia vai ser uma extensão do Fórum Sindical. Não tem como fazer política de verdade, voltada para a população, se não ouvir os especialistas de todas as áreas, como saúde e segurança e da parte financeira do Estado. Nosso objetivo é, a partir do ano que vem, dar voz a essas pessoas para nos ajudar a cobrar do governo”, disse.

Eleito na coligação que apoiou a candidatura derrotada de Wellington Fagundes (PR) ao governo, João Batista disse que ainda não sabe se será oposição ou integrará a base do governo de Mauro Mendes (DEM).

“Nosso partido esteve na fileira contrária e, em tese, seríamos oposição. No entanto, não queremos fazer oposição sistemática, fazer oposição por oposição. Queremos fazer oposição às medidas que são contrárias ao interesse da sociedade. Então hoje eu não posso lhe dizer se vamos ser oposição ou situação. Vai depender do que vamos sentir sobre qual é a vontade do governador, quando eu chegar na Assembleia”, disse.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados federias eleitos gastam R$ 9,4 mi em campanha e despesas não quitadas superam os R$ 300 mil
Próximo artigoOrçamento de 2019 foi elaborado sem emendas parlamentares e deputados cobram inclusão