Jayme julga Bolsonaro

Presidente do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos vai avaliar possível quebra de decoro

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Senador por Mato Grosso, Jayme Campos (DEM) é quem vai analisar uma representação contra o senador Flávio Bolsonaro (sem partido).

O pedido, feito por senadores do Psol, Rede e PT, foi apresentado na manhã desta quarta-feira (19) e aponta possível quebra de decoro por parte do filho do presidente. Ele é acusado de suposto envolvimento com a milícia do Rio de Janeiro.

A representação também se baseou no fato de Flávio ter postado um vídeo da suposta autópsia realizada no corpo do ex-capitão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Adriano Nóbrega, que foi morto na Bahia em uma ação policial.

O ex-policial era suspeito de envolvimento na morte da ex-vereadora Marielle Franco (Psol), em 2018.

Jayme é o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado e afirmou que vai agir com lisura, transparência e “sem açodamento”.

“Vou cumprir literalmente o que determina a lei, a Constituição Federal e o Regimento Interno do Senado, oferecendo o direito da ampla defesa ao representado e recorrendo à advocacia geral da Casa, que é o órgão competente para subsidiar o andamento do processo”, disse Jayme por meio de assessoria.

De acordo com o Regimento Interno do Senado Federal, baseado no artigo 55 da Constituição Federal, a quebra de decoro pode levar à perda de mandato do senador.

Presidente do Psol, Juliano Medeiros, senador Jayme Campos, que preside a Comissão de Ética do Senado, deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) e a presidente do PT, deputada federal Gleise Hoffman (Foto: Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDetran garante legalidade
Próximo artigoEmpresas que contratarem idosos poderão ganhar incentivos fiscais