Jayme descarta adesão de PP e PTB, mas articulações continuam nos bastidores

Negociação com PP envolve retorno de Fabio Garcia à candidatura de deputado federal

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O candidato a senador Jayme Campos (DEM) descartou a possibilidade de o PP e o PTB integrarem a coligação, que tem Mauro Mendes (DEM) como candidato a governador de Mato Grosso. Oficialmente, as duas siglas apoiam Wellington Fagundes (PR) ao governo. Jayme afirmou que, com a realização da convenção partidária, na manhã deste sábado (4), a coligação está definida.

“A coligação está fechada. O PP está com Wellington e o PTB também não está na nossa aliança. Eles não virão mais”, sentenciou Jayme ao LIVRE, logo depois da convenção. Na tarde de sexta-feira (3), Jayme definiu sua chapa tendo como primeiro suplente o deputado federal Fabio Garcia (DEM) e como segunda suplente a ex-primeira-dama de Barra do Garças Maria Cândida Farias (MDB), mãe do atual prefeito do município, Beto Farias (MDB).

O outro candidato a senador da coligação é Carlos Fávaro (PSD), que tem o grão-mestre da maçonaria, Geraldo Macedo (PSD), e o ex-secretário de Estado José Lacerda (MDB) como primeiro e segundo suplentes de sua chapa. Completam a chapa majoritária Mauro Mendes como candidato a governador e Otaviano Pivetta (PDT) como vice.

Articulações a todo vapor

Apesar da declaração do ex-senador, nos bastidores as negociações com o PP continuam. A definição deve ser feita até a convenção da sigla, na tarde de domingo (5). A reportagem apurou que está em curso uma articulação para que a empresária Margareth Buzetti (PP) seja candidata a suplente na chapa de Jayme. Se a aliança se confirmar, ela deve entrar na vaga de Fabio Garcia que, nessa circunstância, retomaria a candidatura de deputado federal.

Garcia surpreendeu o meio político ao anunciar, na sexta-feira (4), a decisão de desistir da reeleição e concorrer como suplente de Jayme, além de coordenar a campanha de Mendes, seu padrinho político. O deputado teria tomado essa decisão, entre outros motivos, para ajudar na composição de Mendes. O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente nacional do partido, Antonio Carlos Magalhães Neto, ainda pressionam para que ele retome a candidatura de deputado federal.

Com a desistência dele, o DEM lançou o ex-reitor da Unemat Adriano Silva como pré-candidato a deputado federal. Inicialmente, ele seria candidato a deputado estadual. Com base eleitoral em Cáceres, Adriano deve enfrentar dois fortes candidatos na região Oeste, Leonardo Albuquerque (SD), que está na aliança do governador Pedro Taques (PSDB), e Ezequiel Fonseca (PP), que ainda está com Wellington Fagundes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVias do Centro Político serão interditadas para corrida; veja os trechos
Próximo artigoÁlvaro Dias é oficializado candidato à Presidência pelo Podemos