Jayme Campos critica “política de esculhambação” e palavreado de Taques

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O pré-candidato a senador Jayme Campos (DEM) disparou contra as críticas do governador Pedro Taques (PSDB) à aliança que o DEM está montando para as eleições deste ano. O tucano teria usado a expressão “cozidão cuiabano” para se referir à provável coligação que sustentará a candidatura do seu concorrente Mauro Mendes (DEM) ao governo do Estado.

“São termos que não são compatíveis com o exercício do cargo de governador. Pedro tem uma mania feia. O cargo por si só exige do governador uma postura diferenciada. Não dá para ficar chamando todo mundo de ‘bobó-cheira-cheira’, agora de ‘cozidão”, declarou Jayme, em entrevista coletiva nessa terça-feira (24).

Em outro momento, Jayme usou indiretas, sem citar nomes. “O povo mato-grossense nos conhece e saberá perfeitamente separar o joio do trigo, que aqui não tem homens que vão usar de truques de palavras, que não vêm com uma campanha de esculhambação, mas sim de propostas. E aqueles que vierem com política de esculhambação e acusação serão julgados nas urnas. Portanto confio na eleição de Mauro Mendes e na minha eleição”, afirmou.

Na ocasião, Mauro Mendes também reagiu às declarações do ex-aliado Pedro Taques. “Eu trato a política com respeito. Não vou ficar fazendo frases de efeito, principalmente vencidas. Vou tratar com respeito o governador Pedro Taques, que um dia foi meu amigo, meu aliado. Não tenho problema de ter estado com ele em 2010 e 2014 – mas hoje, lamentavelmente, vejo que ele não está cumprindo o papel de governar o estado de Mato Grosso. Não vou responder com o mesmo nível de ironia ou frases de efeito. Quero debater Mato Grosso”, disse.

Linguajar de Jayme

Em entrevista coletiva, na tarde do mesmo dia, Pedro Taques ironizou o comentário do antigo aliado, que é marido da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM). “Quero mandar um abraço para o Jayme. Nosso governo tem feito muito por Várzea Grande. Sobre o linguajar, não vou tratar desse tema, até porque todo mundo conhece o linguajar do senador Jayme Campos e o meu”, alfinetou.

Ao ser questionado se a campanha seria de baixo nível, Taques prometeu reagir aos ataques que sofreu ao longo do seu governo. “Estou apanhando há 3 anos, 6 meses e 24 dias, mais que vaca em horta. Meus cabelos ficaram brancos de tanto apanhar. Até Jesus Cristo perde a paciência. Imagina eu que sou um pecador”, declarou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuilombola pode receber comenda do Senado Federal
Próximo artigoMPF garante prestação de atendimento à saúde aos indígenas da etnia Kanelas do Araguaia