Janaina Riva não descarta entrar na disputa à prefeitura de Cuiabá

Deputada diz que não seria a principal pretensão, porque quer manter o vínculo com o interior

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Cotada como uma das possíveis candidatas caso o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) desista da reeleição, a deputada estadual Janaina Riva (MDB) não descarta a possibilidade de concorrer ao Palácio Alencastro.

No entanto, afirma que ser prefeita poderia enfraquecer sua imagem no interior e enterrar pretensões políticas futuras, como ser candidata ao governo de Mato Grosso.

Nessa quinta-feira (11), Janaina disse que a prefeitura é conhecida no meio político como ‘cemitério’, já que os problemas são muitos diante do volume de recurso disponível.

A emedebista diz que acompanha o próximo pleito com cautela, já que a cidade tem muitos problemas que são difíceis de sanar. “Muita gente fala que prefeitura é ‘cemitério de político’”, disse.

Segundo ela, pessoalmente nunca cogitou disputar uma prefeitura porque tem uma forte ligação com o interior de Mato Grosso. “Não gostaria de perder isso, pensando em um projeto futuro de federal, senado ou governo, qualquer outra coisa, perder esse vínculo eu não gostaria”, destacou.

Sobre a prefeitura, Janaina disse que está no MDB e se o partido precisar dela e for viável em 2020, poderá sim assumir a candidatura. “Tem muita água para rolar; daqui até lá tem tanta coisa para acontecer, não tem como traçar quem é candidato e quem não é”, avaliou a parlamentar.

Conta que não é algo que cogita, mas que tem sido abordada por pessoas sugerindo a sua candidatura e tem dito que as elas precisam ter calma e esperar o cenário. “Tem que ver como vai estar o governo, se vai estar bem ou não, se poderá ajudar o município ou não. É uma situação preocupante, me preocupo muito com a saúde, principalmente. Dá impressão de que não têm solução os problemas, é muito complicado, é preciso ter essa consciência”, afirmou.

Para ela, quem for assumir a Prefeitura de Cuiabá precisa ter noção dos problemas, fazer uma campanha eleitoral barata e sem muitos compromissos, já que o momento é de crise nas contas públicas.

“Tem que ser uma eleição sem muito acordo, porque vai ter que enxugar a máquina para poder produzir. Ao contrário disso, disputar uma eleição para chegar carregada de compromisso depois é totalmente inviável para assumir a Prefeitura de Cuiabá”, finalizou.

Janaina é do mesmo partido de Emanuel Pinheiro, que publicamente tem negado interesse de disputar à reeleição ao cargo. Nos bastidores, seu grupo político já negocia eventual apoio à possível candidatura do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM).

Neste caso, o grupo de Pinheiro indicaria o deputado federal Emanuelzinho para ser candidato a prefeito de Várzea Grande, conforme revelou o LIVRE. O parlamentar federal não negou o desejo de ser candidato a prefeito da Cidade Industrial.