“Já apoiei muito o Mauro e agora está na hora de cobrá-lo”, diz Wellington

Pré-candidato ao Governo do Estado, o senador Wellington Fagundes (PR) quer apoio de seu possível adversário nas urnas, Mauro Mendes (DEM)

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O pré-candidato ao Governo do Estado, senador Wellington Fagundes (PR), afirmou na tarde desta quinta-feira (05) que irá cobrar todo apoio que já depositou em seu possível adversário nas urnas nas eleições deste ano, o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM).

“Já apoiei muito o Mauro e está na hora de cobrar isso agora”, declarou Fagundes, em evento na Prefeitura de Cuiabá, que contou com a presença do ministro do Turismo Vinicius Lummertz.

Recentemente, Mauro Mendes esteve em Brasília e, segundo informações obtidas pelo LIVRE, chegou a se reunir com o republicado em busca de aliança em prol de sua provável candidatura. Wellington, no entanto, teria afirmado que não existe possibilidade de recuar de seu projeto ao Executivo.

Agora, além de se manter na disputa, o senador articula o apoio do Democrata, com quem assegura que nunca cortou relacionamento ou diálogo. “Quando há boa vontade para fazer o bem, tudo fica mais fácil”, acrescentou.

O pré-candidato, cujo arco de alianças já conta com MDB, PTB, PCdoB e PP, ressaltou ainda que é perfeitamente possível uma aliança com o PSD, presidido no Estado pelo ex-vice-governador e pré-candidato ao Senado, Carlos Fávaro.

Segundo ele, na última quarta-feira (04) se reuniu Fávaro e o presidente nacional do partido, ministro Gilberto Kassab, para estreitar ainda mais essa possibilidade.

O impasse do PSL

Na oportunidade, o senador também criticou a postura da pré-candidata ao Senado pelo PSL, juíza aposentada Selma Arruda, que reluta numa composição com sua chapa, pela ideologia diferente de partidos aliados, bem como por posicionamento pessoal em relação a políticos que integram o grupo.

“Para se chegar numa coligação é preciso que todos apartem os problemas pessoais e olhem para aquilo que é o interesse global. Tenho certeza que vamos superar isso. A política é a arte de saber conversar. Não pode, de um processo eleitoral, construir inimigos. A população não espera isso, a população espera dos políticos trabalho e responsabilidade, essa é a melhor forma de retribuir o voto”, disparou.

Na última quarta, Wellington se reuniu com lideranças do PSL, entre eles Selma e o presidente regional do partido, deputado federal Victorio Galli, em busca de apoio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça apreende carros e lancha do senador e ex-jogador Romário
Próximo artigoAmazonas confirma morte de bebê por sarampo