“Irmão Cláudio” é condenado a 22 anos de prisão por matar a ex-mulher na frente dos filhos

Segundo o Ministério Público, homem deu cerca de 27 facadas na vítima por não aceitar fim do relacionamento

Foto Ilustrativa/Ednilson Aguiar/ O Livre

Conhecido como “Irmão Cláudio” no município de Sorriso (420 km de Cuiabá), Antônio Cláudio da Silva Santos foi condenado a 22 anos e seis meses de reclusão, em regime inicial fechado. Ele foi acusado de assassinar sua ex-convivente, Mary Célia Freitas Soares, na frente do filho, de 11 anos.

Os jurados acolheram as qualificadoras defendidas pelo Ministério Público, de que o crime foi praticado por motivo torpe, com a utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima, por meio cruel e feminicídio. O julgamento ocorreu nesta quinta-feira (15).

Segundo a promotora de Justiça Maisa Fidelis Gonçalves Pyrâmides, que atuou no Tribunal do Júri, também não foi reconhecida a confissão alegada pelo sentenciado, por entendê-la como “confissão manca”, já que o réu, em visível dissimulação, tentou mentir perante os jurados.

“Irmão Cláudio” foi denunciado pelo Ministério Público e preso preventivamente em 2016, após assassinar a sua ex-convivente com cerca de 27 facadas. O crime foi presenciado pelo filho do casal, que tinha 11 anos de idade.

De acordo com a denúncia, o condenado e a vítima conviveram maritalmente por 16 anos e estavam separados havia dois meses, quando o crime ocorreu. O réu não aceitava o término do relacionamento.

(Com assessoria)