Investimentos da Nexa para exploração mineral devem alcançar US$ 600 mi em 2019

O projeto Aripuanã, em MT, é o segundo maior projeto de zinco em construção no mundo, e também irá produzir cobre e chumbo

PERU Março 2017 - Votorantim / Milpo - Cerro Lindo

A Nexa, uma das cinco maiores mineradoras de zinco no mundo, encerrou os nove primeiros meses do ano com uma importante evolução em seus investimentos, gastos com exploração mineral e projetos, focados na ampliação da eficiência de suas operações no Brasil, incluindo Aripuanã, em Mato Grosso e no Peru, além da expansão de suas atividades.

De janeiro a setembro, foram dedicados US$ 344 milhões em recursos nessas áreas e, até o final do ano, esse valor deve chegar a US$ 600 milhões.

“Apesar do impacto da guerra comercial entre Estados Unidos e China, que afetaram o mercado das commodities como um todo, seguimos positivos em relação ao mercado de zinco e de cobre no médio e longo prazo. Ao mesmo tempo, nosso balanço segue forte e, nesse sentido, estamos revisando a alocação de capital no curto prazo, priorizando as iniciativas que gerarão maior impacto positivo em nosso balanço nos próximos trimestres. Nossa estratégia seguirá focada nos mercados de zinco e cobre nas Américas e o principal investimento da Nexa em curso, a construção do projeto Aripuanã, será um importante ativo para a contribuição da geração de EBITDA da companhia”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Nexa, Tito Martins.

O projeto Aripuanã, localizado no Estado de Mato Grosso, é o segundo maior projeto de zinco em construção no mundo atualmente, sendo que também irá produzir cobre e chumbo.

Com capacidade de processamento de 2,3 milhões de toneladas por ano, está sendo construído de acordo com as mais avançadas práticas de sustentabilidade: reciclagem de praticamente 100% das águas utilizadas, inexistência de barragens pelo uso do sistema de disposição de rejeitos a seco e elevado nível de automação. O projeto entrará em operação em 2021.

Para reforçar suas práticas de pluralidade, a Nexa está realizando um programa de qualificação profissional em parceria com o Senai, em Aripuanã, sendo que 54% dos participantes são mulheres, de forma a estimular a formação de mão-de-obra local.

Isso deve contribuir para que a participação feminina na operação da Nexa tenha grande representatividade. Atualmente, a média de mulheres no setor de mineração mundial é próximo de 10%. Neste mês de outubro de 2019, a Nexa também teve aprovação das autoridades canadenses para aquisição de 100% da empresa Karmin Exploration Inc, passando a deter 100% do controle do projeto Aripuanã.

Finanças

Em relação ao seu desempenho financeiro, a Nexa registrou receita líquida de US$ 1,7 bilhão ao longo dos nove meses, 8% inferior frente ao mesmo período do ano anterior, motivado pelos menores preços dos metais.

O EBITDA ajustado consolidado, por sua vez, atingiu US$ 284 milhões contra US$ 474 milhões nos nove primeiros meses de 2018. No período, a empresa também registrou resultado líquido negativo de US$ 156 milhões, principalmente decorrentes de perdas por efeitos contábeis não caixa (impairment), contra lucro líquido de US$ 34 milhões no ano anterior.

Para o ano, a Nexa prevê produzir até 380 mil toneladas de zinco, 38 mil toneladas de cobre, 55 mil toneladas de chumbo, 9 milhões de onças de prata e 24 mil onças de ouro.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorServidor pode parcelar férias
Próximo artigoÀ luz de velas