Investigado por assédio sexual, presidente do Indea-MT pede demissão

Servidora comissionada foi demitida após não corresponder às supostas investidas do ex-chefe

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Pressionado por conta de uma denúncia de assédio sexual, o presidente do Indea (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário de Mato Grosso), Marcos Catão Dornelas Vilaça, pediu demissão do cargo. A confirmação foi feita por meio de nota à imprensa.

Como se trata de servidor efetivo aprovado em concurso, ele permanecerá no serviço público, mas deverá responder a um processo administrativo disciplinar (PAD).

Na manhã desta segunda-feira (18), houve uma manifestação de mulheres em frente ao Palácio Paiaguás cobrando providências.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na Polícia Civil por uma ex-servidora do Indea, o assédio sexual teria acontecido em um dos dias em que ela precisou entrar na sala de Dornelas para repor as garrafas d’água, quando ele passou a dar investidas verbais, realizando também ato obsceno.

Como não houve correspondência às investidas, a ex-servidora foi demitida do cargo, o que foi considerado por ela como uma “retaliação”.

Confira a íntegra da nota de esclarecimento:

Para evitar maiores desgastes à instituição ao qual presto serviços há 27 anos, solicitei nesta segunda-feira (18.01) meu afastamento da presidência do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA-MT).

Dedicarei meus esforços em construir minha defesa e provar minha inocência em relação a esta situação levantada contra mim.

Confio nos órgãos de investigação e na Justiça, que certamente vão apurar e julgar os fatos de forma independente e imparcial.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConversas musicais – Estação Sé, Caê Rolfsen
Próximo artigoCuiabá deve vacinar 7,5 mil pessoas contra a covid-19 a partir de quarta-feira