|terça, 22 maio 2018

    Integrantes de MT na CPMI da JBS receberam quase R$ 2 mi em doações

    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Ednilson Aguiar/O Livre

    Senador Wellington Fagundes

    Senadores Wellington Fagundes e José Medeiros: responsáveis por investigar a JBS, eles já foram beneficiados com doações da empresa

     

    Os senadores Wellington Fagundes (PR-MT) e José Medeiros (Podemos-MT), além do deputado federal Victório Galli (PSC-MT), receberam doações do grupo JBS em suas respectivas campanhas em 2014 e 2010. Eles, agora, integram a Comissão Parlamentar Mista de Investigação (CMPI) que foi instalada no Congresso com o objetivo de investigar a relação entre as empresas do grupo e o Banco Nacional do Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES).

    A CPMI busca apurar o possível pagamento de propinas para o fechamento de contratos entre a JBS e o banco.

    Fagundes foi o que recebeu as doações mais generosas. Em 2014, ele recebeu R$ 1,85 milhão entre doações da JBS S/A e da Seara, empresa integrante do conglomerado. Ele é titular do bloco moderador da CPMI. As doações foram recebidas via direção nacional do Partido da República (PR).

    O valor recebido por Wellington corresponde a mais de metade de todas as doações do grupo econômico nas eleições de 2014 – R$ 3,9 milhões.

    No mesmo ano, Victório Galli, que é titular da comissão pelo Partido Social Cristão (PSC), recebeu R$ 30 mil da JBS S/A por meio de um repasse feito pela direção estadual da sigla.

    O senador José Medeiros foi eleito como suplente em 2010 na chapa do atual governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB). A chapa, que presta contas de maneira conjunta, recebeu uma doação de R$ 100 mil da JBS S/A naquele pleito. Medeiros é suplente na CPMI pelo Bloco Parlamentar Democracia Progressista.

    Entre os parlamentares de Mato Grosso na comissão, apenas o senador Cidinho Santos (PR-MT) não recebeu doações da JBS quando foi eleito como suplente do atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), em 2010.

    O relator da CPMI, deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), também foi beneficiado por doações da JBS em 2014. Ele recebeu R$ 103 mil da empresa por meio de repasses feitos por outros candidatos naquele Estado. Entre os titulares da CPMI, ao menos oito receberam doações do grupo.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Policiais se revoltam ao prender “Pateta” andando de BMW

    Esposa é ameaçada pela amante do marido com ajuda de PM

    Em curso de mergulho, bombeiros fazem prova escrita embaixo d’água

    Idoso é preso e uma das acusações é o roubo de sua própria motocicleta

    Ladrões roubam carro em frente a escola e mãe tira filho de veículo às...

    X