Instagram cria mecanismo de ajuda para usuários com depressão e ansiedade

Pesquisa da Sociedade Real para Saúde Pública apontou que a rede social é a mais nociva de todas para a saúde mental

O Instagram é uma das redes sociais mais criticadas quando se fala sobre falsa percepção da realidade e saúde mental. Talvez, pensando nisso, e também no crescente índice de usuários com depressão e ansiedade, o aplicativo criou um mecanismo que oferece ajuda aos que pesquisam pelas hashtags #ansiedade e #depressão.

Ao digitar na barra de pesquisa uma das duas hashtags, o usuário recebe um aviso como o da imagem acima. Clicando em “obter apoio”, o Instagram abre uma página dizendo que gostariam de ajudar, se o usuário estiver passando por um momento difícil e precisar de apoio. O App oferece, então,  uma lista com três opções: fale com um amigo, falar com um voluntário da linha de apoio ou receba dicas e apoio.

Selecionando a primeira opção, o aplicativo encoraja o usuário a mandar mensagem ou ligar para alguém em quem confie e até sugere uma frase para iniciar a conversa, caso a pessoa tenha dificuldade em se expressar. Optando por falar com um voluntário da linha de apoio, o Instagram coloca o usuário em contato com os canais de comunicação do Centro de Valorização da Vida (CVV).

Por fim, se o usuário optar pelas dicas, a rede social lista uma série atividades simples do cotidiano que podem ajudar as pessoas com crises de ansiedade ou depressão a se sentirem melhor.

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Real para Saúde Pública, em 2017, na Grã-Bretanha, apontou que o Instagram era a rede social mais nociva para a saúde mental. Foram entrevistadas 1.479 pessoas com idades entre 14 e 24 anos, que deveriam avaliar o quanto os aplicativos impactam na saúde e no bem-estar do usuário.

Foram avaliadas as redes YouTube, Instagram, Facebook e Snapchat, utilizando categorias como depressão, ansiedade, solidão e bullying. No resultado final, o YouTube foi apontado como a rede mais positiva para a saúde mental, enquanto que Instagram e Snapchat foram apontados como os mais nocivos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDesafio do voto
Próximo artigoQueda de temperatura deve permanecer no aniversário de Cuiabá, aponta meteorologia