Indústria deve voltar a crescer no segundo semestre, diz presidente da Fiemt

Mato Grosso foi um dos locais mais afetados do país

Gustavo de Oliveira; investidores aguardam que reformas estruturantes sejam aprovadas (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou queda na produção industrial de Mato Grosso, assim como entre outros 15 locais pesquisados na passagem de maio para junho. O presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo Oliveira, confirma a informação: Mato Grosso registrou recuo de -0,6%.

Segundo ele, de forma geral os investidores estão aguardando as agendas de reformas do país e equilíbrio das contas públicas para que o crescimento seja retomado. Mas alguns problemas, como falha na emissão de notas fiscais na indústria de base florestal, agravou a situação.

Mas Gustavo é otimista. “Acreditamos que já no segundo semestre de 2019 devemos começar a ter uma reação da produção industrial e dos investimentos no país”, diz.

Segundo o presidente da Fiemt, se o conjunto de reformas do governo apresentar uma melhor condição para as contas públicas nacional, o ânimo dos empresários deve melhorar e os investimentos serão desengavetados.

“O custo do emprego no Brasil ainda é alto e compromete a geração de vagas. Outro ponto que também tem atrapalhado a economia é a guerra comercial entre Estados Unidos e China”, avalia.

Os recuos mais acentuados foram observados nos estados do Rio de Janeiro (-5,9%), em Pernambuco (-3,9%) e na Bahia (-3,4%).

Também tiveram quedas os estados do Paraná (-2,3%), São Paulo (-2,2%), Santa Catarina (-1,2%), Ceará (-0,9%) e Minas Gerais (-0,9%), além da Região Nordeste (-1,2%), que é a única região pesquisada de forma conjunta.

Na comparação com junho de 2018, onze dos 15 locais pesquisados tiveram queda. Os maiores recuos foram observados no Mato Grosso (-13,6%), Espírito Santo (-13,2%) e em Minas Gerais (-12%). Apenas quatro estados tiveram alta: Amazonas (5,4%), Rio Grande do Sul (3,5%), Pará (2,7%) e Ceará (0,7%).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIdoso sofre com fake news dizendo que espancou e matou um cachorro
Próximo artigoCriador responde se revival de série The OC pode acontecer

O LIVRE ADS