Indígenas paralisam balsas

Etnia Kayapó decidiu suspender transporte hidroviário no Rio Xingu para proteger indígenas da covid-19

(Foto: Divulgação)

A etnia Kayapó vai suspender as atividades da balsa “Estradeiro I” e do rebocador “Estradeiro II”, que realiza a travessia do rio Xingu, em São José do Xingu (a 951 km de Cuiabá).

Os meios de transporte vão ser paralisados a partir de amanhã (25), como medida para proteger a saúde das comunidades indígenas que vivem na região do novo coronavírus.

O secretário de Infraestrutura (Sinfra), Marcelo de Oliveira, até tentou negociar com os indígenas, para garantir a manutenção dos serviços – com horários reduzidos – para não prejudicar o deslocamento das pessoas na região.

Os indígenas não cederam e resolver paralisar de vez as travessias feitas pelos transportes hidroviários. Apesar de serem administradas pelo Estado, as balsas são controladas pelos indígenas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresário fecha academia por causa de pandemia e é ameaçado por sócio
Próximo artigoPresidente da FPA pede redução de 50% das verbas indenizatórias e de até 20% dos salários

O LIVRE ADS