Incêndio na Amigão Autopeças volta a se propagar em pequena proporção

Causas do incêndio que começou no domingo serão investigadas; laudo da perícia fica pronto em 10 dias

Foto: Reprodução

O incêndio na loja Amigão Autopeças, localizada na Avenida Miguel Sutil, voltou a se propagar em pequena proporção no início da manhã desta segunda-feira (18). As informações são do Corpo de Bombeiros Militar, que conteve as novas chamas. A Defesa Civil foi acionada e está se deslocando para o local para realizar uma vistoria técnica.

“Houve uma resignação, ou seja, o incêndio voltou a se propagar pela manhã. O Corpo de Bombeiros foi acionado, esteve no local, extinguiu o incêndio de pequena proporção, somente em um determinado ponto”, afirma o tenente dos bombeiros, Eduardo Bueno. Segundo ele, a ocorrência não interferiu no trânsito da região e, a princípio, não há risco de nova reignição.

A loja, que fica na altura do bairro Areão, amanheceu em chamas na manhã de domingo (17). Esse é o segundo incêndio que atinge o local em menos de três meses. No primeiro, que aconteceu em novembro de 2018, o fogo teve início de madrugada e atingiu o galpão do estabelecimento comercial.

Ainda segundo a equipe dos bombeiros, foram necessários 33 militares, três viaturas e um caminhão auto tanque para combater o incêndio, que não fez vítimas. Segundo informações do boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar, a loja estava repleta de mercadorias. A pista da Miguel Sutil, sentido viaduto da Avenida Fernando Corrêa, ficou interditada.

A Polícia Judiciário Civil informou que o proprietário do estabelecimento relatou que a loja está cheia de mercadorias, mas ainda não sabe o valor do prejuízo. Segundo ele, imóvel está “sub judice” e que a empresa que está gerenciando é quem deveria manter guardas no local.

As causas do incêndio serão investigadas pela perícia técnica. De acordo com a Politec, o prazo mínimo para o laudo é de 10 dias.

Furto

A Amigão Autopeças também foi alvo de um furto no dia 18 de janeiro. De acordo com boletim de ocorrência, o proprietário da loja apareceu a delegacia na data, após ser informado por pulares que o estabelecimento estava sendo roubada, por volta das 8h30.

A vítima esteve no local averiguando os fatos e constatou que haviam arrombado a parede da frente da loja, no porão do prédio. Ele relata ainda que acionou a Polícia Militar, que esteve no local realizando rondas, sem êxito em encontrar suspeitos.

Na ocasião, o proprietário da Amigão Autopeças também não soube informar ao certo o que havia sido subtraído do local, já que havia uma ordem judicial referente a disputa do prédio de instalação, emitida pela nona vara civil de Cuiabá, que impede o seu acesso ao empreendimento.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS