Inauguração de delegacia em Cuiabá tem presença de Michele Bolsonaro e Damares

Unidade irá atender mulheres vítimas de violência doméstica e sexual

(Foto: Assessoria/Secom-MT)

O governo do Estado inaugurou nesta terça-feira (8) a primeira delegacia 24 horas de Mato Grosso. A inauguração da unidade para vítimas de violência doméstica e sexual teve a presença da primeira-dama Michele Bolsonaro e da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Iniciativa da primeira-dama de Mato Grosso Virginia Mendes, a unidade da Polícia Civil foi inaugurada em meio a alta nos números de feminicídio em Mato Grosso.  Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), os casos aumentaram 143% entre março e maio deste ano.

A nova delegacia também deve dar fôlego aos atendimentos já realizados na Delegacia Especializada da Mulher. A unidade atendeu, no ano passado, 3.052 vítimas, uma média entre 10 e 20 atendimentos diários.

Ao discusar, Damares elogiou a iniciativa do governo e convocou os demais governadores a se espelharem no projeto.

“Mato Grosso elevou o patamar da proteção à mulher. Essa inauguração é um ato histórico e por isso lanço um desafio para que todos os governadores tentem fazer uma delegacia mais bonita que essa. Agressores de mulheres acabou para vocês em Mato Grosso”, discursou.

LEIA TAMBÉM

Em fala sucinta, Michele Bolsonaro agradeceu a oportunidade de fazer parte do momento e citou o empenho do governo em entregar a unidade para a população.

Fechando o evento, o governador Mauro Mendes (DEM) citou o desejo de que as relações entre homens e mulheres sejam pautadas pelo amor.

Durante a inauguração, ele anunciou que o governo deve criar mecanismos para que todas as mulheres sejam atendidas. A medida inclui, por exemplo, intérprete de libras para mulheres com deficiência.

A novidade também ficará por da medida protetiva virtual. A expectativa é de que o pedido possa ser feito pela internet ainda a partir deste mês de setembro.

A inauguração também contou com a participação virtual da ativista Maria da Penha, líder de movimentos de defesa dos direitos da mulher.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPantanal em chamas: depois das araras, as onças e não há previsão de chuva
Próximo artigoCovid-19: laboratório suspende testes da vacina de Oxford