IFMT registra software de rastreamento da cultura do algodão no INPI

O software foi um trabalho de conclusão de curso do estudante de Sistemas para Internet, Junior Streicham

Foto: Assessoria

O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) registrou no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) um software para gestão e rastreamento da colheita do algodão em ambiente web.

O programa de computador é uma solução de baixo custo e de simples operação levando em conta as limitações do campo, utilizando tecnologias de aplicativos móveis, com o objetivo de oferecer uma alternativa aos produtores de algodão. Ele funciona no módulo Android para captação de dados referente ao algodão colhido no campo e envio para aplicação web que faz o armazenamento e processamento desses dados.

A coordenadora da Agência de Inovação Tecnológica do IFMT, Silvana Santos da Cruz destacou que o programa de computador já foi registrado no INPI e tem uma empresa interessada pela transferência de tecnologia. “A agência incentiva e estimula o registro de propriedade intelectual dos trabalhos do IFMT. Esse tipo de trabalho é importante, pois alavanca a pesquisa na instituição”, destacou Silvana Cruz.

O software foi um trabalho de conclusão de curso do estudante de Sistemas para Internet do Campus Cuiabá, Junior Erdmann Streicham que orientado pelo professor Tiago de Almeida Lacerda. O estudante apresentou o programa para o conselho temático da Fiemt e já tem empresa interessa em adquirir a tecnologia.

A ideia do programa de computador surgiu a partir de uma visita técnica no ano passado de um grupo de professores do IFMT – Campus Cuiabá, organizado pelo Laboratório de Pesquisa Aplicada (Lapa) ao Grupo Bom Futuro em Campo Novo do Parecis, durante a Parecis Super Agro.

“A visita teve o objetivo de aproximar o Instituto Federal com as necessidades do setor do agronegócio. Nessa visita foram professores de diversas áreas, como geoprocessamento, automação, sistemas para internet. Eu fui representando o curso de sistemas para internet. No local, identificamos a necessidade de criar um software de baixo custo desacoplado da internet e que pudessem fazer o rastreamento do algodão. Era uma necessidade deles na época, pois o rastreamento é feito de forma manual. O estudante Junior Streicham foi quem topou fazer esse software”, conta o professor Tiago Lacerda.

O estudante Junior Erdmann Streicham, ressaltou que foi um grande prazer fazer esse trabalho, pois pode aplicar o que aprendeu em sala de aula e fez com excelência. “Eu poderia ter feito algo mais fácil, mas resolvi fazer com excelência para mostrar o nome do IFMT na sociedade, para outros alunos e meus colegas. Quero mostrar que aqui é um lugar bom de estudar, que se faz pesquisa e se aprende coisas boas. Com o objetivo de transformar o IFMT em referência tecnológica”, ressaltou o aluno.

Ao ser questionado como foi apresentar seu trabalho no conselho temático da Fiemt, ele falou que estava muito nervoso, e particularmente não tinha noção do que era apresentar no conselho temático da Fiemt. “Eu tive mais noção do que estava acontecendo durante e depois da apresentação. No meu mundo eu tinha uma noção mais fechada, quando cheguei lá foi como se tivesse aberto um horizonte maior, ou seja que é possível alcançar um lugar melhor e impactar a sociedade com que eu faço”, disse o estudante Junior Erdmann Streicham.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorExportação de grãos irá crescer 40% na próxima década, aponta estudo do ministério
Próximo artigoStan Lee será homenageado com nome de rua em Nova Iorque

O LIVRE ADS