IBGE inicia pesquisa especial sobre os efeitos da covid-19 no país

Instituto vai levantar quantas pessoas tiveram os sintomas, quantas se curaram em casa e também quem perdeu ou sofreu mudanças no emprego

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) deve divulgar ainda em maio uma pesquisa própria sobre os efeitos do novo coronavírus no país. Os dados começaram a ser coletados nesta segunda-feira (4), por telefone.

Em Mato Grosso, 5.284 domicílios – distribuídos em 97 cidades – estão na lista dos que devem ser entrevistados. 

A ideia do IBGE – que trabalha em conjunto com o Ministério da Saúde – é fazer uma amostragem de quantas pessoas podem ter contraído a covid-19 no Brasil. Entre as perguntas, os entrevistadores vão querer saber se alguém na casa teve sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar.

“Identificaremos a parcela da população que procurou atendimento e em quais tipos de estabelecimentos de Saúde. Para os que não buscaram atendimento, vamos descobrir como trataram os sintomas”, explica a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Maria Lucia Vieira.

A pesquisa deve complementar os dados dos boletins diários que o próprio Ministério da Saúde, assim como secretarias estaduais, têm divulgado.

No caso de pessoas que tenham sido internadas, o IBGE vai querer saber, por exemplo, se houve necessidade de sedação e de intubação e uso de ventiladores mecânicos. Para quem se tratou em casa, sozinho, a pergunta deve ser “com que remédio?”.

Mercado de trabalho

Outro dado que o IBGE vai levantar é quanto ao mercado de trabalho. Com a pesquisa deve ser possível estimar quantos brasileiros migraram para o sistema home office e, dos desempregados, como foi a busca por uma nova colocação em tempos de quarentena.

O Instituto quer descobrir ainda quantas famílias perderam renda com as medidas de distanciamento social, já que muitas empresas – autorizadas por uma Medida Provisória do governo – optaram por reduzir salários nesse período.

Pesquisa por telefone

A pesquisa sobre o impacto da covid-19 é uma versão especial da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) que o IBGE já realiza para mensurar, por exemplo, dados do desemprego no país.

Desde o início da pandemia, os entrevistados – que antes recebiam uma visita do funcionário do IBGE – passaram a receber telefonemas. Mesmo assim, de acordo com o Instituto, ainda é possível checar a identidade dessas pessoas.

No site Respondendo ao IBGE ou pelo telefone 0800 721 8181, qualquer pessoa pode informar os números de matrícula, RG e CPF fornecidos pelo entrevistador.

Quem receber a ligação também pode agendar um horário mais confortável para responder as perguntas. Segundo o IBGE, a pesquisa não leva mais que 10 minutos.

(Com Assessoria) 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNo calor de Cuiabá, médico recomenda uso de 3 máscaras por dia
Próximo artigoControle de público