Hostilidade no Pronto-Socorro

Inauguração foi marcada por troca de farpas entre chefes de Executivo

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O clima de hostilidade entre o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), e o governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM), ficou evidente na noite dessa segunda-feira (18), durante a cerimônia de inauguração do novo Pronto-Socorro Municipal.

Durante meses, Mauro avisava que sequer iria participar da cerimônia e recentemente passou a alegar conflito de agenda. Contudo, na manhã do evento, garantiu que estaria no palanque.

E foi. Mas a pose lado a lado e os apertos de mão não foram suficientes para esconder o desagrado de ambas as partes.

Mauro, logo no início da coletiva, passou a anunciar obras do governo do Estado, “desmentindo” o prefeito de Cuiabá, sobre qual seria o maior hospital da região.

O anúncio mal foi finalizado quando Emanuel Pinheiro pediu que a pauta se focasse no Hospital Municipal de Cuiabá – a estrela da noite.

Depois, os dois divergiram quanto ao repasse de recursos para a área da Saúde. Mauro diz que Cuiabá deve ser tratada como qualquer outro município, enquanto Emanuel discorda.

O prefeito, embora tenha lembrado nomes importantes de políticos que contribuíram para a obra, insistiu em paternizá-la. Já Mauro rebateu declarações de Pinheiro, de que a obra teria ficado paralisada, levando inclusive documentos para a solenidade – e lembrou de suas articulações em prol do novo hospital.

No fim, o ex-governador Pedro Taques (PSDB) afirmou: “Dizem que filho bonito sempre tem pai. Essa é uma obra bonita, é cheia de pais”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS