Homens são presos captando clientes para advogado de Cuiabá sob a promessa de “limpar nome”

Com panfletos e procurações prontas para serem assinadas, os homens ofereciam consulta gratuita no Serena e SPC e a promessa de limpar o nome dos futuros clientes

Dois homens foram presos em Peixoto de Azevedo captando clientes para o advogado de Cuiabá, Ubiratan Máximo Pereira de Souza Junior. Com panfletos e procurações prontas para serem assinadas, os homens ofereciam consulta gratuita no Serena e SPC e a promessa de limpar o nome dos futuros clientes.

Conforme a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), o advogado responderá a processo ético disciplinar pela suspeita de captação ilícita de clientela. O oferecimento de serviços profissionais para angariar ou captar cliente é vedado pelo Código de Ética e Disciplina da OAB.

Em Peixoto de Azevedo, a denúncia foi feita a pedido do presidente da subseção da OAB, Marcus Augusto Giraldi Macedo. Os dois homens, que usavam crachá como sendo consultores autorizados do SPC e Seresa, foram presos e liberados sob pagamento de fiança no valor de R$ 1,2 mil.

O caso, por sua vez, não é exceção no Estado. Em Rondonópolis, por exemplo, frente ao grande número de denúncias envolvendo a prática, a subseção da ordem decidiu criar, no mês passado, a Comissão de Combate à Captação Ilícita de Clientes (Cacic). Recentemente, a OAB de Tangará da Serra também precisou intervir na realização de um “Feirão Limpa Nome” que estava sendo realizado no município de Nova Olímpia.

Tanto a distribuição dos folhetos oferecendo serviços de consultoria jurídica, como a realização de eventos conhecidos como “Feirão Limpa Nome” constituem captação ilícita de clientela, que deve ser denunciada ao Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da OAB-MT pelos telefones (65) 3613 0939 e 3613 0940 ou diretamente à Ouvidoria, pelo endereço eletrônico http://oabmt.org.br/ouvidoria, ou ainda em qualquer uma das 29 subseções da Ordem em Mato Grosso.

Outro lado

Em contato com a redação do LIVRE, o advogado informou que não foi notificado de nenhuma decisão da OAB. Ubiratan Máximo assegurou ainda que não possuí processos em Peixoto de Azevedo e que, no momento oportuno, irá apresentar todos os fatos à ordem.

Atualizada às 15h43

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDona de gato cleptomaníaco cria perfil para devolver itens furtados
Próximo artigoVeja quem são os deputados de MT que assinaram requerimento para acabar com a Lava Jato

O LIVRE ADS