Homens são presos captando clientes para advogado de Cuiabá sob a promessa de “limpar nome”

Com panfletos e procurações prontas para serem assinadas, os homens ofereciam consulta gratuita no Serena e SPC e a promessa de limpar o nome dos futuros clientes

Dois homens foram presos em Peixoto de Azevedo captando clientes para o advogado de Cuiabá, Ubiratan Máximo Pereira de Souza Junior. Com panfletos e procurações prontas para serem assinadas, os homens ofereciam consulta gratuita no Serena e SPC e a promessa de limpar o nome dos futuros clientes.

Conforme a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), o advogado responderá a processo ético disciplinar pela suspeita de captação ilícita de clientela. O oferecimento de serviços profissionais para angariar ou captar cliente é vedado pelo Código de Ética e Disciplina da OAB.

Em Peixoto de Azevedo, a denúncia foi feita a pedido do presidente da subseção da OAB, Marcus Augusto Giraldi Macedo. Os dois homens, que usavam crachá como sendo consultores autorizados do SPC e Seresa, foram presos e liberados sob pagamento de fiança no valor de R$ 1,2 mil.

O caso, por sua vez, não é exceção no Estado. Em Rondonópolis, por exemplo, frente ao grande número de denúncias envolvendo a prática, a subseção da ordem decidiu criar, no mês passado, a Comissão de Combate à Captação Ilícita de Clientes (Cacic). Recentemente, a OAB de Tangará da Serra também precisou intervir na realização de um “Feirão Limpa Nome” que estava sendo realizado no município de Nova Olímpia.

Tanto a distribuição dos folhetos oferecendo serviços de consultoria jurídica, como a realização de eventos conhecidos como “Feirão Limpa Nome” constituem captação ilícita de clientela, que deve ser denunciada ao Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da OAB-MT pelos telefones (65) 3613 0939 e 3613 0940 ou diretamente à Ouvidoria, pelo endereço eletrônico http://oabmt.org.br/ouvidoria, ou ainda em qualquer uma das 29 subseções da Ordem em Mato Grosso.

Outro lado

Em contato com a redação do LIVRE, o advogado informou que não foi notificado de nenhuma decisão da OAB. Ubiratan Máximo assegurou ainda que não possuí processos em Peixoto de Azevedo e que, no momento oportuno, irá apresentar todos os fatos à ordem.

Atualizada às 15h43

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.