Homem que matou ex-namorada com mais de 20 facadas no peito é preso

Crime aconteceu no último domingo (6), dentro da casa da vítima; mas corpo só foi encontrado na segunda-feira (7)

(Foto: Facebook)

Edail Silva Real, 30 anos, suspeito de assassinar a ex-namorada Fátima Ferreira do Nascimento, 36 anos, com mais de 20 facadas no peito no último domingo (6) em Cáceres (220 km de Cuiabá), foi preso nessa quarta-feira (6) em Rio Verde (GO).

Fátima foi encontrada morta por uma prima em sua casa, no Bairro Luz do Sol, em Cáceres, na manhã da segunda-feira (7).

Ela havia tido um relacionamento por cerca de um ano com o suspeito e estava separada por quase um mês, mas ele não aceitava o término.

Um dia antes do crime, ele estava na casa da vítima ajudando um pedreiro a cobrir parte da casa.

Na noite do crime, do domingo, após assassinar Fátima, Edail ligou para a mãe e disse que havia acabado de matar a ex-namorada e estava ao lado do corpo dela.

Prisão

Assim que o corpo foi encontrado, a Polícia Civil começou as buscas ao suspeito. Com troca de informações entre a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cáceres, o Poder Judiciário, o Ministério Público e a colaboração das forças de segurança de Goiás, ele foi encontrado na rodoviária de Rio Verde tentando embarcar para o Maranhão.

Ele foi preso por uma equipe da Polícia Militar de Rio Verde e encaminhado para uma delegacia da Polícia Civil.

A delegada Judá Maali Marcondes, responsável pela investigação do caso, apurou ainda que o suspeito tem diversos registros por crimes relacionados à violência doméstica contra outras ex-companheiras e também uma condenação pela Comarca de Cáceres por estupro de vulnerável.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem procura socorro em distribuidora de VG com faca cravada no pescoço
Próximo artigoBolsonaro ironiza declaração racista do presidente da Argentina