Homem morre após ameaçar estuprar mulher e ser espancado pelo filho dela

Ele invadiu a casa, ameaçou estuprar uma das mulheres presentes e quando partiu para cima da mais velha acabou espancado

Foto: Assessoria Polícia Civil de Mato Grosso

Um homem de 62 anos, identificado como Joaquim Paes Ribeiro, morreu nesse domingo (5) após invadir uma casa, ameaçar estuprar uma mulher e ser espancado pelo filho dela. O caso aconteceu no Bairro Guarujá Expansão, em Água Boa (745 km de Cuiabá).

A Polícia Militar foi acionada pelo filho da vítima, que disse que um homem havia invadido a casa de sua noiva e ele havia entrado em luta corporal com o suspeito e o feito desmaiar.

Uma equipe da PM foi até o local, por volta das 2h50, e encontrou o suspeito sem consciência e com vários ferimentos na face.

Socorristas do Hospital Regional foram acionados e conduziram o acusado para o atendimento hospitalar.

Questionada, a testemunha contou que estava com a noiva na casa dela quando dois homens entraram no local e o suspeito que depois acabou agredido começou a dizer que era membro do Comando Vermelho e iria ficar com uma das mulheres presentes, nem que fosse à força, pois quem comandava era ele.

O noivo da dona da casa pediu que o suspeito saísse do quintal e um dos homens saiu, o outro, Joaquim, porém, caminhou em direção à mãe do homem que pediu que se retirassem e disse: “Eu vou ficar nem que seja com essa velha”.

Para defender a mãe, o homem partiu para cima do acusado e deu vários socos e pontapés nele, até ele perder a consciência. Depois disso, ele tentou chamar o socorro-médico e, em seguida, acionou a Polícia Militar via 190.

Joaquim chegou a ser socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu e morreu na manhã do domingo (5).

O caso foi registrado como ameaça e violação de domicílio, por parte de Joaquim, e lesão corporal, por parte do filho que defendeu a mãe e a noiva.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDireito e Medicina? Não. Alunos estão buscando profissões menos tradicionais
Próximo artigoR$ 265 mil para shows