Homem é preso por tentar matar irmãos e sobrinho por causa de litro de pinga

Acusado foi encontrado e preso ainda com manchas de sangue e com a garrafa de 51 nos braços

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um homem de 33 anos foi preso nessa quarta-feira (18) após tentar matar a facadas seus dois irmãos, de 37 e 40 anos, e seu sobrinho, de 18 anos, motivado por uma briga por causa de um litro de pinga.

O crime aconteceu na casa da família, no Bairro Cohab, em Jauru (435 km de Cuiabá), por volta das 10h50.

A Polícia Militar foi acionada pelo condutor da ambulância do hospital da cidade, após ele ser chamado para resgatar três pessoas esfaqueadas, duas em estado grave e uma mais leve.

A Polícia Civil foi acionada e, ao chegar, as vítimas em estado grave já estavam na ambulância, enquanto o sobrinho, que estava menos ferido, contou que o culpado do crime era seu tio.

O rapaz estava com uma pequena perfuração na região do peito, próxima ao coração.

Os policiais saíram em busca do suspeito, com auxílio do sobrinho, e o encontraram em frente a um bar, ainda com manchas de sangue, com uma lesão no supercílio esquerdo e carregando um litro de pinga 51.

Segundo o boletim de ocorrência, o suspeito estava alcoolizado e, ao ser questionado, confirmou ter esfaqueado os irmãos e o sobrinho, afirmando que eles haviam batido nele.

O irmão de 40 anos, no entanto, foi esfaqueado no pescoço enquanto estava dormindo. Já o sobrinho contou à polícia que havia discutido com o tio por disputarem o litro de pinga, que foi apreendido.

O suspeito tentou resistir à prisão, mas acabou imobilizado e algemado. A faca que ele utilizou no crime foi encontrada na casa em que tudo aconteceu.

A vítima de 37 anos sofreu um corte mais profundo, que quase alcançou uma artéria.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid: diário da vacina #72
Próximo artigo“Não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo”, afirma Sérgio Reis