Homem é preso por atirar em ex-namorada e na irmã dela com arma de pressão

Ele acertou vários disparos na mão, pescoço, costas e principalmente a cabeça na ex-namorada e um na perna da irmã dela, que tem apenas oito anos

Imagem ilustrativa

Um homem suspeito de crimes de lesão corporal, ameaça e violência doméstica teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil, nessa segunda-feira (28), em ação da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) de Tangará da Serra (239 km a médio-norte de Cuiabá).

O suspeito, de 20 anos, no dia 31 de janeiro, efetuou diversos disparos com uma pistola de airsoft contra a sua ex-namorada, de 16 anos, e contra a irmã dela, de apenas oito anos anos, por não aceitar o término do relacionamento.

Segundo informações da Polícia Civil, no dia dos fatos, o suspeito chegou a residência das vítimas usando um capuz e uma capa de chuva, com a intenção de não ser identificado.

Ele procurou a vítima no quarto e perguntou se ela realmente não queria reatar o relacionamento, diante da negativa da jovem, o suspeito iniciou uma sequência de disparos de arma de pressão.

A vítima foi atingida com diversos disparos, que acertaram sua mão, pescoço, costas e principalmente a cabeça, somente não sendo atingida por mais disparos por ter conseguindo correr e se esconder em uma quitinete vizinha.

Enquanto a vítima corria, o suspeito passou pela irmã da ex-namorada e a ameaçou dizendo que mataria todo mundo, ocasião em que apontou a arma para a menina e puxou o gatilho, a atingindo na coxa esquerda, ficando a esfera alojada na perna da vítima.

Com base nas investigações, a delegada titular da DEDM de Tangará da Serra, Liliane Soares Diogo, representou pela prisão preventiva do suspeito, que foi deferido pela Justiça. A equipe de investigação da Delegacia da Mulher monitorou o suspeito todo esse tempo e nesta segunda-feira cumpriu o mandado de prisão pouco após o deferimento da ordem judicial.

Segundo a delegada, o suspeito cometeu um crime bárbaro e a liberdade dele representa intranquilidade social e risco à integridade física da vítima e sua família.

“Não restam dúvidas de que o suspeito premeditou sua ação, preocupando-se em cobrir o rosto e, sem piedade, passou a atingir a ex-namorada com a arma de pressão, intencionando lesioná-la gravemente, e até matá-la, com o instrumento que tinha acesso, visto que procurou atingi-la em sua cabeça, e, certamente, se ele tivesse acesso a uma arma de fogo, o fim teria sido outro”, disse a delegada.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPF conclui operação de combate a crimes ambientais em terras indígenas
Próximo artigoUniversitário desaparecido em Goiás é encontrado pela PRF em Mato Grosso