Homem é preso em flagrante por estuprar filha com deficiência mental

Crime aconteceu em Cáceres e foi levado à polícia pelo professor da vítima, a quem ela confidenciou os abusos

(Foto: Imagem ilustrativa)

Um homem de 45 anos foi preso nessa quinta-feira (9) em Cáceres e é acusado de abusar sexualmente reiteradas vezes da própria filha, uma menina de 19 anos com deficiência mental. Ele será indiciado em flagrante por estupro de vulnerável.

Na manhã de quinta-feira, a vítima, estudante da Escola Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE), foi encaminhada até a delegacia depois de relatar a um professor os abusos sexuais cometidos pelo próprio pai.

Durante a oitiva, assistida e acompanhada de uma psicóloga, a vítima narrou que toda vez que sua madrasta saía de casa, o pai praticava relações sexuais com ela e ameaçava agredi-la fisicamente. Ainda dizia que se contasse algo, seria impedida de ir à escola.

A jovem também acrescentou que o pai praticava os abusos sexuais desde que ela era menor de idade, quando ela era levada à força para o quarto onde ele a estuprava.

Conforme a delegada Paula Gomes Araújo, diante dos fatos gravíssimos apresentados, a vítima foi encaminhada para realizar o exame de corpo delito, que constatou a violência sexual.

Em diligências, policiais civis localizaram o suspeito que foi conduzido até a delegacia, interrogado e autuado em flagrante delito, sendo encaminhado para audiência de custódia da Justiça.

A delegada representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva. As investigações continuam para apurar se a outra filha do suspeito, de 12 anos e com deficiência mental, também sofreu abusos.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVirginia Mendes relata luta contra o câncer no pâncreas
Próximo artigoDefensoria Pública cobra reabertura de pronto-atendimento para gestantes de alto risco