Homem de 32 anos é preso por namorar menina de 12 e engravidar a própria filha

Filha do suspeito vítima de estupro também tem 12 anos

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Um homem de 32 anos foi preso na última sexta-feira (19) acusado de estupro de vulnerável. Ele “namorava” uma criança de 12 anos e é suspeito de ter engravidado a própria filha, que tem a mesma idade.

Os crimes ocorreram em Vila Bela de Santíssima Trindade (520 km de Cuiabá).

“Namoro”

Segundo a Polícia Civil, o primeiro crime descoberto foi o do namoro, que chegou à Polícia Civil via denúncia por telefone.

Os policiais investigaram o caso e identificaram o suspeito e a vítima. O Conselho Tutelar foi acionado e a responsável legal da criança foi ouvida na delegacia.

Os investigadores coletaram diversas informações para confirmar o namoro, entre elas fotos e postagem em redes sociais, que provam o relacionamento entre o suspeito e a criança.

Estupro dentro de casa

Depois, a Polícia Judiciária Civil descobriu que, ainda enquanto mantinha o namoro com a criança, o suspeito estuprava a própria filha, de 12 anos, que pode estar grávida devido aos abusos praticados pelo pai.

Segundo a Polícia, será realizado um confronto de DNA para confirmar a paternidade. Em interrogatório, ele já confirmou os estupros, assim como o namoro com a outra criança.

Diante da necessidade de coletar mais evidências sobre o crime, o delegado João Paulo Berté, que está investigando os dois casos, pediu a prisão temporária do suspeito. O pedido foi deferido pela Justiça e ele foi preso na sexta-feira (19).

Após os procedimentos policiais, o suspeito foi encaminhado para a Cadeia Pública de Vila Bela da Santíssima Trindade e as investigações seguem para a conclusão.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid-19 na 1ª Vara Criminal
Próximo artigoTanque de peixes em troca de creche? TJMT mantém multa a ex-prefeito