Homem assassina a esposa, procura a polícia para dizer que ela estava desaparecida e é preso

Vizinhos já haviam chamado a polícia ao verem ele agredir a esposa, mas ela se recusou a denunciar no dia

(Foto: reprodução / Facebook)

Diego Fernandes de Almeida, 29 anos, foi preso nessa segunda-feira (23) por assassinar a esposa, Andrea Ramos Costa, 31 anos, na residência do casal, em Guariba, distrito de Colniza (1.090 km de Cuiabá).

O suspeito procurou a Polícia no início da manhã, acompanhado do enteado, filho da vítima, informando que a esposa estava desaparecida. Os policiais, no entanto, notaram que Diego estava nervoso e acharam a situação suspeita.

Os militares tentaram entrar em contato com Andrea por WhatsApp, mas ela apenas recebia as mensagens e não visualizava. Uma equipe, então, foi até a casa dela e encontrou o aparelho celular dela guardado dentro do guarda-roupas do casal.

Uma bermuda masculina vermelha com vestígios de sangue também foi localizada e, após buscas mais profundas, os policiais perceberam que na camionete da vítima também havia vestígios de sangue na carroceria, que estava com areia na superfície.

Diante das evidências, os policiais prenderam o marido da vítima imediatamente como suspeito do crime.

Diego foi preso após polícia desconfiar que ele havia matado a esposa (Foto: reprodução / Facebook)

Busca pelo corpo

A partir desse momento a polícia deu início à busca pelo corpo de Andrea. Foi quando eles conseguiram imagens de Diego saindo de sua casa, vestido com a bermuda vermelha, com o veículo da vítima, por volta das 4 horas da madrugada.

Na carroceria do carro havia um colchão, que depois foi encontrado queimado próximo a uma serraria na MT-206, a aproximadamente três quilômetros do local em que a vítima morava.

Os policiais continuaram as buscas e às 13h26 receberam a informação de que o corpo havia sido encontrado em frente ao portão de outra serraria da MT-206. Eles foram até o local e reconheceram Andrea, que estava sem vida, com vários hematomas pelo corpo, muitos vestígios de sangue e um ferimento contundente na cabeça.

O local foi isolado para que fosse iniciada a investigação do caso.

(Foto: reprodução / Facebook)

Escondendo provas

Os policiais também conseguiram outro vídeo do suspeito coletando areia e levando para a residência do casal. Sendo que foi encontrada areia na carroceria da camionete da vítima, supostamente usada para esconder o sangue da vítima.

A irmã da vítima foi até o quartel da PM e informou ter encontrado na máquina de lavar da residência do casal lençóis com manchas de sangue e que o cunhado havia trocado o colchão da cama em que o casal dormia.

O crime gerou comoção social e, conforme o boletim de ocorrência, a polícia ficou sabendo que vizinhos planejavam o linchamento do suspeito, que precisou ser colocado rapidamente na viatura da Polícia Militar para impedir as agressões.

Ainda assim, quando a irmã da vítima soube da morte de Andrea, ela agrediu o cunhado, deixando-o com hematomas no rosto. Em seguida, ela passou mal.

Andrea deixa dois filhos (Foto: reprodução / Facebook)

Outra denúncia

No dia 31 de julho deste ano, vizinhos já haviam acionado a polícia ao verem Diego agredindo Andrea. Ela, porém, não quis denunciar o marido.

No dia, Diego havia arrastado Andrea à força para casa em uma lanchonete, chegando a quebrar uma cadeira no estabelecimento.

Uma equipe da PM foi até o local, mas Andrea disse que estava apenas discutindo com o marido e que não havia sido agredida, contrariando as diversas denúncias recebidas pela polícia no dia.

Pouco depois, Diego foi até o Núcleo da PM fazendo frenagens e cavalinho de pau, alterado e em visível estado de embriaguez, questionando por quê os policiais haviam ido até a casa dele.

Ele foi preso por direção perigosa e conduzir veículo sob a influência de álcool. Foi oferecida mais uma vez a possibilidade de Andrea o denunciar pelas agressões, mas ela não quis.

Revolta

Nas redes sociais de Diego, já há pessoas pedindo por justiça pela morte de Andrea. Na publicação de casamento do casal uma pessoa comentou: “Que a Justiça seja feita. “JUSTIÇAPARAESSEASSASSINO”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados federais querem derrubar veto e propor novo fundão eleitoral
Próximo artigoHomem chega a casa de vizinho, encontra esposa com ele na cama e denuncia estupro