Governo reduz exigências para tentar atrair investidores para rodovias de Tangará

233 km das rodovias MT-246, MT-343, MT-358 e MT-480 serão concedidos pelo governo à iniciativa privada

Foto: Meneguini/Gcom-MT

O governo do Estado, através da Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), alterou a forma de concessão das rodovias da região da Tangará da Serra. Na gestão anterior, o governo queria leiloar as estradas na bolsa de valores B3, agora vai fazer uma licitação local levando em conta o maior valor de outorga.

As MT’s da região de Tangará da Serra faziam parte do programa Pró-Estradas Concessões, mas as rodovias foram excluídas do pacote de concessão do governo em 2018.

O valor mínimo da outorga em 2018 era de R$ 3 milhões e agora passou para R$ 50 mil. O valor do pedágio era de R$ 7,90 na gestão anterior e passou para R$ 5,90 já que as exigências foram reduzidas.

O valor total do contrato era de R$ 3 bilhões e passou para R$ 2,2 bilhões na licitação de agora.

O edital anterior previa duplicação de 7,7 km, no novo não consta duplicação de nenhum trecho. O edital anterior previa a construção de 12 km de terceira faixa, no atual não consta. O anterior previa 195 km de acostamento e no novo nenhum.

O edital anterior previa 205,8 km e no novo não consta. Outros 21 km de vias marginais teriam que ser restaurados e no novo edital não prevê isso. Além da melhoria das vias marginais, a Sinfra previa melhoria em 32 interseções (encontro de vias), o novo edital não consta.

O edital anterior previa 12 km de ciclovias, o novo não prevê a construção de ciclovias.

Operação

O edital anterior previa três postos de pesagem, o novo edital prevê apenas um posto. O anterior previa três postos de Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), o novo edital prevê a construção de apenas um posto da SAU. Eram três postos de inspeção de tráfego e agora serão dois.

A empresa que vai tocar as rodovias devia ter um guincho pesado, o novo edital não prevê nenhum. O anterior previa três caminhões pipas e o novo apenas um. Além disso, a empresa vencedora teria que fazer um posto policial no edital anterior, no novo o posto policial foi excluído.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMaitre deixa grandes buffets para ser autônomo: “eu gosto é do povo”
Próximo artigoNem decisão do STF levou União a agilizar pedido de empréstimo para MT

O LIVRE ADS