Governo prevê renúncia fiscal de R$ 3,8 bilhões em 2019

Incentivos do Prodeic consomem R$ 2 bilhões - e soja é o setor mais beneficiado

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governo estadual deve renunciar a cerca de R$ 3,8 bilhões na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no ano de 2019, de acordo com o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A receita total prevista é de R$ 19 bilhões.

A maior parte refere-se a incentivos fiscais do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic), no valor de R$ 2 bilhões. O incentivo total via Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) é de R$ 2,5 bilhões. Pela Secretaria de Fazenda (Sefaz), devem ser renunciados R$ 1,25 bilhão, e pela Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec) devem ser R$ 800 mil.

Dentro do Prodeic, o setor com maior volume de incentivos é o das indústrias de derivados de soja, no montante de R$ 447 milhões. O setor de alimentos e carnes, tem incentivos no montante de R$ 362 milhões, e as indústrias de bebidas têm R$ 353 milhões. Na sequência, a fabricação de produtos alimentícios tem renúncia de R$ 124 milhões, e a fabricação de móveis e produtos diversos de R$ 121 milhões, mesmo montante da moagem e fabricação de produtos de origem vegetal.

A Sedec possui também programas de incentivos setoriais. O Proalmat, que incentiva a cadeia do algodão, tem renúncia prevista de R$ 70 milhões. Para a cadeia da soja, são previstos R$ 182 milhões. Para materiais de construção, a renúncia prevista é R$ 97 milhões. Para o setor atacadista, são previstos R$ 72 milhões. Há também o Voe MT, que dá desconto no ICMS do querosene de aviação para as companhias aéreas que operarem voos regionais, com um volume de R$ 23 milhões em incentivos.

A LDO prevê, também incentivos do tipo não programático ou seja, que não exigem contrapartidas das empresas beneficiadas. Isso inclui R$ 340 milhões a menos na arrecadação de ICMS de máquinas agrícolas e equipamentos industriais e um volume de R$ 273 milhões nas saídas interestaduais de carne.

Há também renúncia de receita com fins sociais, como a renúncia de ICMS da comunicação para pequenas localidades, no montante de R$ 21 milhões, e da energia elétrica nos hospitais filantrópicos, no valor de R$ 2,4 milhões. No Refis (programa de renegociação de dívidas), a renúncia prevista é de R$ 159 milhões.

Evolução

Em 2018, está prevista uma renúncia fiscal de R$ 3,5 bilhões, em um orçamento de R$ 18,8 bilhões. A projeção da LDO é que a renúncia ultrapasse R$ 4 bilhões em 2020 e R$ 4,3 bilhões em 2021.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRondonópolis recebe nesta quinta-feira (07) o ‘Acrimat em Ação 2018’ 
Próximo artigoSalomanos segue para Cáceres com shows no FIPe e Centro Socioeducativo