Governo paga correção monetária a servidores que tiveram salários escalonados

Anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes, segundo quem o valor total desse investimento ainda será calculado

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governo de Mato Grosso anunciou no final da tarde desta terça-feira (27) que vai pagar uma correção monetária a todos os servidores públicos que – entre agosto de 2017 e outubro de 2019 – tiveram os salários escalonados.

Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), o valor será depositado de forma integral em uma única parcela, no dia 30 de novembro.

“A Constituição diz de forma clara que, quando o Estado paga depois do dia 10, o servidor tem direito a uma correção monetária. (…) Muita gente ajudou nessa reconstrução financeira do Estado e nos permitiu agora reconhecer esse direito”, disse o governador.

No anúncio – feito ao lado dos secretários da Casa Civil, Mauro Carvalho, da Fazenda, Rogério Gallo, e de Gestão, Basílio Bezerra -, Mauro Mendes disse o valor total a ser investido pelo governo ainda está sendo calculado.

Os salários dos servidores públicos de Mato Grosso eram pagos ainda dentro do mês trabalhado até meados da gestão Pedro Taques (Solidariedade).

Sob o argumento de dificuldades financeiras – segundo seu governo, causadas por leis que aumentaram de forma desproporcional às receitas públicas os salários de várias categorias -, Taques “atrasou” esses depósitos para o 10 do mês seguinte e, posteriormente, chegou a chegou a “parcelar” a folha de pagamento.

Em dezembro de 2019, seu primeiro ano de mandato, Mauro Mendes anunciou que, a partir de 2020, todos os servidores passariam a receber o salário de forma integral em uma única parcela, depositada no dia 10 de cada mês.

Já em setembro deste ano, o governador conseguiu fazer o primeiro pagamento da folha salarial dentro do mês trabalhado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP de Mato Grosso denuncia 33 por fraudes contra o seguro DPVAT
Próximo artigoSTJ adia julgamento de recurso de Lula quanto do tríplex do Guarujá