Governo não divulga detalhes sobre síndromes respiratórias para “não confundir a população”

Gilberto Figueiredo diz que detalhamento sobre os casos de doenças respiratórias gripais e grave confundiria população sobre evolução da covid-19

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, negou que os casos de síndromes respiratórias graves estejam com acompanhamento irregular em decorrência da pandemia do novo coronavírus. 

Ele disse, nesta segunda-feira (27), que os registros das doenças respiratórias graves estão contabilizados de acordo com as regras do Ministério da Saúde e o universo dessas síndromes não está sendo publicado com detalhamentos – tel como acontece com a covid-19. 

“As doenças originárias de síndromes respiratórias graves têm, sim, recurso de controle em sistema do Ministério da Saúde e está à disposição da população. Mas, no boletim diário vamos publicar aquilo que consideramos necessário, para não confundir a cabeça da população e misturar todas as demais enfermidades existentes hoje”, pontuou. 

Procedimento

Na sexta-feira (24), o Grupo de Atuação Estratégica em Defesa da Saúde Pública (Gaedic Saúde), vinculado à Defensoria Pública do Estado, instaurou procedimento administrativo para apurar as medidas adotadas pelo governo no combate ao novo coronavírus. 

O assunto ressaltado pelo grupo é uma suposta subnotificação de casos das síndromes respiratórias gripal agudas graves. O grupo quer que a secretaria divulgue, diariamente, levantamentos sobre a síndrome gripal em paralelo aos casos da covid-19. 

Além da contagem de infectados, os levantamentos devem apresentar o perfil de cada paciente, incluindo sexo, faixa etária, cidades e bairros, se o paciente sofre ou não de alguma doença, sem identificar as pessoas, e informações sobre a forma de contaminação (quando identificada). 

“Nosso boletim informativo diário é especificamente de covid-19. Nós não vamos fazer uma salada de frutas para confundir a cabeça da população”, disse o secretário. 

Síndromes respiratórias 

A divulgação de números sobre os casos de síndromes respiratórias, que incluem casos suspeitos da covid-19, começou ser feita pela Secretaria de Saúde no dia 7 de abril. 

O levantamento geral dos casos aparece no boletim epidemiológico divulgado a cada 24 horas pela SES, também com números da evolução da covid-19. A inclusão das síndromes do boletim seguiu orientação do Ministério da Saúde. 

No boletim divulgado no fim da tarde desse domingo (26), a secretaria contabiliza 794 casos de síndrome respiratória aguda grave. Esse número representa aumento de 91% nos casos desde o primeiro levantamento. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Há várias causas para a Sindrome Respiratória Aguda Severa (SARS). Algumas são causadas pelos diversos coronavirus. Atribuir TODAS elas ao atual coronavirus (COVID19) é FALSEAR AS ESTATÍSTICAS aumentando falsamente o número de casos ou de mortes, coisa aliás que vem sendo feita principalmente em São Paulo.
    Isto é gravíssimo, mas a extrema-imprensa ignora.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFio de alta tensão cai em calçada e bebê de oito meses morre eletrocutada
Próximo artigoCoronavoucher provoca novas filas em Cuiabá