Governo e UFMT estudam federalização de Hospitais Regionais

A grave crise na saúde levou o governador a decretar a prorrogação de situação de emergência das unidades de saúde. Outras unidades também entraram para a lista

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) tenta a federalização das unidades dos Hospitais Regionais de Sinop e Rondonópolis. Para debater o assunto, o comandante da saúde estadual, Gilberto Figueiredo reuniu com a reitora da UFMT, Myrian Serra. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (20), data em que o governo prorrogou a situação de emergência das unidades estaduais.

Apesar de reconhecidas algumas adversidades, ambos os gestores visualizam o projeto como uma possibilidade de melhoria do serviço prestado à população mato-grossense. A ideia inicial é de que as unidades possam funcionar como hospitais-escolas.

“Acredito que essa seja uma questão extremamente convergente, que engloba a disposição da Secretaria de Estado e da UFMT. Por isso, juntamos forças e estipulamos a criação de um Grupo de Trabalho que terá a missão de levantar informações e dados referentes à viabilidade do projeto”, ressaltou Figueiredo.

Os elementos a serem apurados pelo Grupo de Trabalho auxiliarão a defesa do projeto junto à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) – responsável pela administração do Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), único hospital público federal do Estado, ligado à UFMT.

“A comissão terá 90 dias para entregar os resultados da profunda avaliação. O Grupo de Trabalho ainda irá definir o que é necessário para operacionalização do projeto e qual é o sistema de gestão de cada hospital, mediante consultoria da equipe da Ebserh”, concluiu a reitora.

O prazo para a realização do levantamento de informações é prorrogável por mais 90 dias, sendo a avaliação dos dados uma ferramenta essencial para a perfeita tomada de decisão.

Representatividade

No encontro, também esteve presente o deputado estadual Delegado Claudinei, suplente da Comissão de Saúde e representante da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Além de acompanhar a questão, que diz respeito à Saúde e à Educação do Estado, o parlamentar integrou a mesa com o intuito de levar a relevante discussão à Casa de Leis.
“Assim que divulgada a composição do Grupo de Trabalho, a Assembleia será oficialmente notificada sobre o assunto e participará legitimamente do debate sobre a questão”, enfatizou o secretário de Saúde, durante a reunião.

Situação de emergência

O governador Mauro Mendes (DEM) decidiu decretar nesta semana a prorrogação da situação de emergência dos regionais, diante da grave crise econômica e da Sorriso, Alta Floresta, Colíder, Rondonópolis, Cáceres e Sinop por 180 dias.

O decreto do governador declara ainda situação de emergência em novas unidades da saúde estadual. Entram na lista o Centro Integrado de Assistência Psicossocial Adauto Botelho, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, Superintendência de Assistência Farmacêutica – SAF, MT Hemocentro, Cridac, Cermac, Lacen e Superintendência de Obras da SES.

Com este decreto, o Estado poderá fazer as renegociações dos contratos, contratações mais céleres, bem como a manutenção de equipamentos, aquisição de medicamentos e insumos, além de um prazo maior para renegociar com os credores.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOs benefícios da fisioterapia para crianças com Síndrome de Down
Próximo artigoTexano leva boi na coleira para testar política de boas-vindas de animais em loja nos EUA

O LIVRE ADS