Governo diz que “inércia” de concessionária trava internacionalização de aeroporto

Secretário Rogério Gallo diz que dois anos depois de outorga federal, Cuiabá passa por "papelão" com autorização pontual de voos

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Secretário da Casa Civil, Rogério Gallo disse nessa quarta-feira (27) que o impasse na internacionalização do aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, passa pela “inércia de investimentos” da concessionária responsável pela administração do terminal. 

Segundo ele, a concessão dos serviços para o setor privado ocorreu por falta de condições financeiras da Infraero, estatal que administra o setor, para adaptar o terminal às regras internacionais. Porém, dois anos após a transferência, as mudanças ainda não teriam começado. 

“Em 2019, foi decidido que, por falta de investimento da Infraero, o aeroporto seria transferido para a iniciativa privada, e a COA assumiu no começo de 2020. Mas, até agora só houve inércia da concessionária para fazer investimento”, disse Gallo. 

O Governo de Mato Grosso enviou há 10 dias um pedido à Agência Nacional de Aviação Comercial (Anac), Polícia Federal, ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e à Receita Federal para que seja concedida a liberação pouso e decolagens de voos internacionais no Marechal Rondon até 2 de outubro. 

LEIA TAMBÉM

A data tem relação com o andamento da Copa Sul-Americana, da qual Cuiabá participa. A última partida da final está programada para 1º de outubro e o governo projeta a hipótese de o time cuiabano avançar até ao último jogo. 

A liberação temporária evitaria que a cada jogo do Cuiabá em casa, haja novo pedido para a liberação de voos de outros países. “Esperamos que até lá essa situação seja resolvida. Não podemos continuar passando por esse papelão”, acrescentou Gallo. 

O que diz a COA?

A COA disse em nota que o projeto de ampliação, modernização para a internacionalização do aeroporto Marechal Rondon está concluído e aprovado, e com a empresa responsável pela execução.  

O início das obras está marcado para este ano, com previsão de conclusão em 2023. O investimento está estimado em R$ 350 milhões. 

“[A obra] tornará o aeroporto internacional de Cuiabá em um dos mais modernos, eficientes e confortáveis do Brasil, não apenas para os clientes que viajam dentro do país, mas, também, para os passageiros internacionais”.  

A concessionária disse ainda que, apesar da pandemia, “já realizou uma extensa lista de investimentos em melhorias e modernização na estrutura do aeroporto, sanando de imediato as principais deficiências do local, como prevê o contrato de concessão”. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComitê da ONU diz que Lava Jato violou garantias processuais de Lula
Próximo artigoBolsonaro diz que se sentiu “orgulhoso e feliz” ao decretar perdão a Daniel Silveira