Governo de MT prorroga decreto contra a covid; AMM queria medidas mais rígidas

Regras impostas pelo Governo continuarão válidas até o dia 4 de abril. AMM sugeriu que prefeitos imponham lockdown por conta própria

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) prorrogou por mais 15 dias as medidas restritivas – toque de recolher e funcionamento do comércio até às 19h – em todo o Estado. Com a decisão, as regras continuarão válidas até o dia 4 de abril.

A prorrogação foi anunciada nesta terça-feira (16) e justificada pela alta taxa de ocupação dos leitos em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) na rede estadual exclusiva para pacientes da covid-19.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), atualmente 80 pessoas estão na fila de espera de vaga em uma UTI.

O Boletim Epidemiológico divulgado na tarde de segunda-feira (15) apontava que entre casos confirmados, suspeitos e descartados, 466 pessoas estão internadas em UTIs públicas. Isto é, a taxa de ocupação está próxima dos 95%.

Outros 530 pacientes ocupam leitos de enfermarias em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), onde a taxa de ocupação é de 66%.

“O governo está fazendo tudo que está ao seu alcance para abrir mais leitos de UTIs, um esforço de todos os servidores, porque precisamos oferecer tratamento para quem necessita. Mas, se não houver colaboração de cada um para usar máscara e não aglomerar, não teremos condições para atender a todos”, disse o governador Mauro Mendes.

AMM defende lockdown

Na segunda-feira (15), o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípíos (AMM), Neurilan Fraga, chegou a defendeu regras ainda mais rígidas. Em uma nota, ele sugeriu que os próprios prefeitos adotassem medidas para conter a disseminação do novo coronavírus.

Um documento com sugestões também foi encaminhado ao governador Mauro Mendes. Nele, estavam o fechamento das atividades de comércio e prestação de serviços, sendo mantidas somente as atividades essenciais.

Foi defendido também o toque de recolher em todo o território mato-grossense das 21h às 5h.

A AMM pediu ainda a suspensão das aulas nas escolas públicas e particulares, fechamento de parques, praias de água doce e outros locais que possam gerar aglomeração. E, por fim, a proibição de shows e eventos de qualquer natureza, inclusive, cultos religiosos.

Veja quais regras permanecem válidas:

  • Proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h, de segunda à sexta-feira.
  • Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia.
  • Supermercados poderão funcionar nos sábados das 5h às 19h. Aos domingos, até o meio-dia.
  • Restaurantes, inclusive os localizados em shoppings, poderão atender aos sábados e domingos até às 14h.
  • Restaurantes e congêneres atendem nas modalidades take-away (pegue e leve) e drive-thru somente até às 20h45.
  • Atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.
  • Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite 30% da capacidade do local e número máximo de 50 pessoas.
  • Serviços de delivery permitidos até às 23h.
  • Transporte coletivo e de aplicativos podem funcionar normalmente.
  • Toque de recolher das 21h às 5h, com proibição de circulação.
  • Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Só quero saber quando começar o caixa do governo estadual ficar vazio por falta de compra e venda o que ele vai fazer. Ira aos bancos fazer empréstimo pra pagar as contas correntes?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEscola do Tribunal de Contas sofre princípio de incêndio durante a madrugada
Próximo artigoSalário não vale o risco: Médicos e enfermeiros negam falta de profissionais no mercado