Governo de MT diz que obra e tarifa do BRT serão até 43% mais baratos

Tarifa para o usuário está estimada em R$ 3,04 e investimento público em R$ 430 milhões para uma conclusão em até 24 meses

Ednilson Aguiar/ O Livre

A mudança de modal de transporte coletivo em Cuiabá e Várzea Grande, de VLT para BRT, deve custar menos para o governo de Mato Grosso e para os usuários. Um comparativo, apresentado nesta segunda-feira (21) pelo governador Mauro Mendes (DEM), mostra uma diferença de 43% no preço para a instalação do Bus Rapid Transit. 

O Veículo Leve sobre Trilho custaria mais R$ 763 milhões para ser concluído. Já o BRT, com 54 ônibus, está estimado em R$ 430 milhões. Os dados são partes de estudo encomendado pelo Estado para avaliar a viabilidade de modal. 

Para o usuário, o custo seria no mesmo patamar de variação. A tarifa para VLT teria que ser registrada em R$ 5,29. Enquanto isso, a passagem para o BRT está estimada em R$ 3,04 (-42%). 

A previsão é que a ordem de serviço seja autorizada em agosto do próximo ano.

LEIA TAMBÉM

“A mudança foi decidida também pensando no usuário, na comodidade, no preço. Com o sistema do BRT, a finalidade é transporte coletivo. O tempo de viagem do usuário será reduzido e poderá custar menos”, disse o secretário de Fazenda, Rogério Gallo. 

O governador Mauro Mendes anunciou a escolha pelo BRT em coletiva de imprensa no fim da tarde desta segunda-feira. Segundo ele, o pedido para mudança de objeto no projeto foi protocolado no Ministério do Desenvolvimento Regional na sexta-feira (18). O objetivo é acelerar os trâmites para o início das obras e garantir o financiamento de R$ 200 milhões da União. 

O governo estima que o BRT ficará pronto para uso público em 24 meses após a assinatura da ordem de serviço. Esse prazo também seria menor que o estimado para o VLT, que  precisaria ser liberado judicialmente de oito processos em trâmite na Justiça estadual, antes de a obra, estimada em 48 meses, dar os primeiros passos. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno desiste da obra do VLT e vai construir corredores de ônibus em Cuiabá e VG
Próximo artigoWaldir Teis pede aposentadoria