Governo de MT compra e equipa aviões para atuar como UTIs aéreas

Aeronaves devem economizar cerca de R$ 5 milhões com serviços terceirizados

(Foto: Christiano Antonucci/Secom-MT)

O Governo de Mato Grosso agora possui sua própria UTI aérea e deve passar a economizar cerca de R$ 5 milhões por ano com um serviço que, até então, era feito exclusivamente por uma empresa terceirizada.

Segundo a Secretaria de Saúde, o Estado terá duas aeronaves próprias operando no transporte de pacientes cujos casos sejam de urgência e emergência.

Um dos aviões já está equipado e deve começar a voar em fevereiro. O segundo ainda aguarda a instalação do equipamento médico.

A aquisição da primeira aeronave e a adequação da segunda custaram R$ 3,8 milhões, um dinheiro que o Governo de Mato Grosso recebeu do Ministério Público Estadual (MPE) e do Poder Judiciário.

Trata-se de verba “arrecadada” em ações judiciais – cujo motivos dos processos não foi revelado – e que resultaram em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Parceria

Tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Flávio Glêdson Vieira Bezerra é o presidente da comissão que equipou as aeronaves (Foto: Christiano Antonucci/Secom-MT)

De acordo com o secretário estadual e Saúde, Gilberto Figueiredo, as aquisições não vão livrar o governo do contrato com a empresa privada que presta o mesmo serviço, mas vão representar uma redução de até 40% no valor do contrato.

Dos cerca de 70 voos mensais necessários em Mato Grosso, pelo menos 23 poderão ser feitos com os aviões do próprio governo.

“Rodamos mais de 70 mil quilômetros por mês. Mas a recente parceria vai proporcionar ao Estado a ampliação dessa capacidade de atendimento e, ao mesmo tempo, busca reduzir os custos que nós temos na área de transporte aéreo para poder investir mais na saúde”, ele disse.

A parceria citada por Figueiredo é com a Secretaria de Estado de Segurança Pública. Isso porque as UTIs aéreas foram incorporadas à frota do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Foi o Ciopaer, por meio de uma comissão especial, que definiu o modelo de avião e os equipamentos que melhor atenderiam a demanda do Estado. Também partirá de lá o treinamento dos tripulantes, médicos e enfermeiros que vão atuar nessas unidades móveis de saúde.

O avião comprado nos Estados Unidos tem capacidade para dois tripulantes, seis passageiros e autonomia de 6h30 de voo.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVigilância faz operação especial em supermercados de Cuiabá para recolher cerveja mineira
Próximo artigoMapa identifica contaminação da água utilizada pela Backer em cervejas

O LIVRE ADS