Governo de MT anuncia pacote de obras estimado em R$ 9,5 bilhões

Programa divido em 12 eixos deve ter 63% de recurso de fonte própria do governo estadual e deverá ser concluído até 2022

(Foto: Secom-MT)

O governador Mauro Mendes (DEM) lançou nesta quarta-feira (28) o programa de serviços de sua gestão, com investimento estimado em R$ 9,5 bilhões até 2022.  

O programa, que inclui obras e outros serviços que começaram a ser executados ainda em 2019, é composto por 12 eixos: saúde; segurança pública; infraestrutura; meio ambiente; educação; emprego e renda; turismo; social e habitação; cultura, esporte e lazer; turismo; eficiência pública; digitalização de serviços e atendimentos fiscais; e agricultura familiar e regularização fundiária. 

Infraestrutura será o eixo com mais investimento, o valor programado é de R$ 4,7 bilhões. Isso equivale à metade do valor global previsto para aplicação até o fim do atual governo. 

Logo em seguida, aparece educação com um volume estimado em R$ 936 milhões. E depois o setor de segurança pública, com estimativa de R$ 776 milhões. 

O programa inclui a execução de obras já antigas em Mato Grosso, como a construção do Hospital Central e o novo prédio do Hospital Universitário Júlio Müller. Também estão no pacote, o investimento na construção de pontes de concreto anunciado recentemente (veja abaixo o valor destinado a cada eixo e ações previstas). 

De onde virá o dinheiro? 

Conforme o governador Mauro Mendes, 63% do recurso calculado para as obras serão aplicados da fonte direta governo do Estado. Algo em torno de R$ 6,3 bilhões que terão quantias crescentes nos próximos dois anos. 

Teria começado com R$ 778 milhões no ano passado, subido para R$ 1,1 bilhão até o final de 2020. No próximo ano, a estimativa é que haja crescimento triplo e o valor aplicado suba para R$ 3,1 bilhões. Em 2022, chegaria a R$ 4,2 bilhões. 

“Esses valores estão sendo estimados com o pé no chão. Não vamos iniciar nenhuma obra se sabermos que há dinheiro para começar e para concluir. Parte de recurso, já aplicamos e já temos outra em caixa e financiamento tem de onde chegar”, afirmou. 

Outros R$ 3,7 bilhões deverão ser tomados de empréstimos de bancos estatais e o governo federal. 

Veja a distribuição de recursos e os serviços por eixo 

  • Educação – R$ 936,4 milhões 

Serviços:  construção de novas escolas, construção e reforma de quadras poliesportivas, manutenção e climatização, melhorias no sistema pedagógico. 

  • Saúde – 1,18 bilhão  

Serviços: construção de três novos hospitais regionais, modernização dos hospitais estaduais e unidades de saúde existentes e retomada das obras dos hospitais Júlio Muller e Central. 

  • Segurança – R$ 766 milhões  

Serviços: abertura de 4 mil vagas no sistema prisional, aquisição de equipamentos de tecnologia, armamentos, veículos, aeronaves e a expansão dos projetos Águia e Tolerância Zeroi88, reforma das unidades de segurança. 

  • Social e Habitação – R$ 362,3 milhões 

Serviços: programa de habitação popular, qualificação profissional, cidadania e o Programa SER Família, com ações específicas para as crianças, idosos, mulheres, pessoas com deficiência e em situação de vulnerabilidade social. 

  • Desenvolvimento, Emprego e Renda – R$ 192,5 milhões 

Serviços: desenvolvimento de emprego e renda; conclusão da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Cáceres; crédito a pequenos empreendedores; fortalecimento das cadeias produtivas; ampliação das linhas de crédito pela Desenvolve MT; investimentos em qualificação. 

  • Infraestrutura – R$ 4,73 bilhões  

Serviços: asfaltamento de 2.400 km de estrada; restauração de 3.000 km de pavimentação; construção de 5 mil pontes de pequeno, médio e grande porte; criação do programa Mato Grosso Iluminado que vai implantar iluminação com lâmpadas de LED. 

  • Cultura, Esporte e Lazer – R$ 170 milhões 

Serviços: ações ao patrimônio histórico e cultural, apoios a eventos e iniciativas culturais, fortalecimento dos jogos escolares, promoção e apoio a eventos esportivos e no apoio a atletas de ponta; investimentos em infraestrutura ao entorno da Arena Pantanal e construção do Parque Multieventos de Mato Grosso. 

  • Simplifica MT – R$ 28 milhões 

Serviços: unificação de serviços e atendimentos, oferecendo a maioria deles de forma centralizada e digital, com a extinção de filas e papelada 

  • Turismo – R$ 339,2 milhões 

Serviços: construção de seis novas orlas turísticas, melhorar e modernizar a infraestrutura dos locais turísticos, financiar projetos de pequenos empresários e desenvolver o turismo no Pantanal. 

  • Eficiência Pública – R$ 404,3 milhões 

Serviços: implantação de canais on-line, digitalização de arquivos, novos equipamentos, processos digitais, treinamento dos servidores, usinas de energia solar, modernização dos prédios públicos e construção de novas unidades para “zerar” despesas com aluguel. 

  • Meio Ambiente – R$ 156 milhões  

Serviços: preservação ambiental com o desenvolvimento sustentável, eficiência nos processos de licenciamento, outorga e regularização de imóveis rurais, prevenção e combate ao desmatamento ilegal e incêndios florestais. 

  • Agricultura Familiar e Regularização Fundiária – R$ 265 milhões 

Serviços: aquisição de equipamentos, máquinas, assistência técnica remota e regularização de imóveis urbanos e rurais. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCandidata a vereadora é agredida e coligação pede ajuda à Justiça Eleitoral
Próximo artigoFávaro: “influência maléfica” em pesquisa